WhatsApp lança quatro novidades

A aplicação de mensagens instantâneas prepara-se para novos lançamentos em setembro. O blog WABetaInfo, citado pelo site ‘Dinheiro Vivo’ reuniu as diversas modificações que a app colocou nas suas versões ‘beta’ nas últimas semanas. Desde alterações...

WhatsApp lança quatro novidades
A aplicação de mensagens instantâneas prepara-se para novos lançamentos em setembro. O blog WABetaInfo, citado pelo site ‘Dinheiro Vivo’ reuniu as diversas modificações que a app colocou nas suas versões ‘beta’ nas últimas semanas. Desde alterações mais comuns.   Modo escuro O “modo escuro” é a opção que ajuda a cansar menos os olhos ou a poupar a bateria, quando se torna escassa. Dentro de algumas semanas, esteve poderá entrar em vigor, à semelhança do que já existe noutras redes socias.  Edição de fotos Será possível editar as suas fotos antes de enviá-las, ou apenas destacar uma parte delas. De acordo com a mesma fonte, o WhatsApp está a desenvolver uma ferramenta interna para a edição das fotos. Nas versões ‘betas’ é possível verificar que a opção já está bastante avançada e pode entrar em futuras atualizações para Android e iOS, acrescenta o Dinheiro Vivo.   Boomerang  Após a integração oficial do WhatsApp na família do Facebook, ganhado o nome “WhatsApp do Facebook”, os programadores da app acolhem os famosos ‘boomerangs’, vídeos no formato ‘loop’. A ferramenta será semelhante à do Instagram, porém, contém a possibilidade de converter o vídeo gravado num GIF, se o mesmo durar até sete segundos   Multi-dispositivo  Esta ferramenta vem facilitar a vida daqueles utilizadores que usam mais do que um telemóvel, ou, pelo menos um telemóvel e outro dispositivo, como um tablet, por exemplo. O multi-dispositivo vai permitir que o mesmo utilizador aceda à aplicação nos vários dispositivos simultaneamente.  Contudo, é provável que a segurança seja posta em risco. A ressaltar que, além disso, o WhatsApp estará com vulnerabilidades há um ano e ainda não corrigiu os seus problemas que poderão afetar milhares de utilizadores. Isto torna possível que um hacker adultere as mensagens de um utilizador sem que este perceba, antes mesmo do destinatário a receber. A plataforma garante estar a trabalhar numa solução para o problema.