Viagens dos árbitros com adversários do Marítimo “são desaconselháveis”, diz Jorge Coroado

O antigo árbitro internacional, Jorge Coroado, falou sobre as viagens para a Madeira no recomeço do campeonato, já que existe a possibilidade de as equipas de arbitragem, por questões logísticas, terem que viajar com os adversários do Marítimo. Para o ex-árbitro, esta “situação é excecional”, mas considera que as viagens dos árbitros para a Madeira são desaconselháveis “para defesa da integridade moral e ética”, em declarações ao jornal O Jogo. Ao mesmo tempo, Coroado pensa que poderá haver polémica, caso haja erros de arbitragem nesses jogos. “Se não é recomendável na ida, se depois do jogo algum transtorno acontecer será uma situação muito incómoda”, afirmou o antigo árbitro. Conhecedor da realidade do futebol português, Jorge Coroado espera que esta situação seja resolvida da melhor forma possível e deixa um apelo aos intervenientes desta operação. “Espero que seja ultrapassável e não se volte a repetir. E deseja-se que todos se saibam comportar”, indicou. Recorde-se que, conforme o JM já tinha noticiado hoje, outro antigo árbitro, José Leirós, considerou que este problema seria resolvido com a ajuda das forças armadas.

Viagens dos árbitros com adversários do Marítimo “são desaconselháveis”, diz Jorge Coroado
O antigo árbitro internacional, Jorge Coroado, falou sobre as viagens para a Madeira no recomeço do campeonato, já que existe a possibilidade de as equipas de arbitragem, por questões logísticas, terem que viajar com os adversários do Marítimo. Para o ex-árbitro, esta “situação é excecional”, mas considera que as viagens dos árbitros para a Madeira são desaconselháveis “para defesa da integridade moral e ética”, em declarações ao jornal O Jogo. Ao mesmo tempo, Coroado pensa que poderá haver polémica, caso haja erros de arbitragem nesses jogos. “Se não é recomendável na ida, se depois do jogo algum transtorno acontecer será uma situação muito incómoda”, afirmou o antigo árbitro. Conhecedor da realidade do futebol português, Jorge Coroado espera que esta situação seja resolvida da melhor forma possível e deixa um apelo aos intervenientes desta operação. “Espero que seja ultrapassável e não se volte a repetir. E deseja-se que todos se saibam comportar”, indicou. Recorde-se que, conforme o JM já tinha noticiado hoje, outro antigo árbitro, José Leirós, considerou que este problema seria resolvido com a ajuda das forças armadas.