Valor por metro quadrado das rendas de habitação na RAM decresceu ligeiramente face aos semestres anterior e homólogo

Segundo informação hoje divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no 1.º semestre de 2020 (últimos 12 meses), o valor mediano das rendas dos 1 134 novos contratos de arrendamento de alojamentos familiares, celebrados na RAM, foi de 5,98 €/m2.  Relativamente ao semestre precedente, observou-se um acréscimo de novos contratos, de +9,1%, registando-se, no entanto, uma diminuição de -0,2% no valor mediano das respetivas rendas. Comparativamente ao 1.º semestre de 2019, observaram-se, pela mesma ordem, variações de +13,3%  e de -0,3%. Entre as sete regiões NUTS II, a RAM posicionou-se como a terceira região com o valor mediano das rendas mais elevado (lugar que partilhou com a Área Metropolitana do Porto, ambas com 5,98 €/m2), atrás da Área Metropolitana de Lisboa (8,42 €/m2) e do Algarve (6,54 €/m2). Note-se que a média nacional correspondia a 5,47 €/m2. Considerado o limiar mínimo (30 transações) estabelecido para efeitos de difusão, apenas foi possível disponibilizar dados para o Funchal, seus municípios contíguos, Câmara de Lobos e Santa Cruz, Machico e Calheta. No período em referência, o Funchal concentrou 769 dos 1 134 novos contratos de arrendamento, seguido de Santa Cruz com 175, Câmara de Lobos com 47, Calheta com 43 e Machico com 38. No que diz respeito ao valor mediano de rendas entre municípios, verifica-se que o Funchal (6,84 €/m2) registou o valor mais elevado, para além de ser o único a superar o valor da Região (5,98 €/m2), seguindo-se Santa Cruz (5,46 €/m2), Câmara de Lobos (4,70€/m2), Machico (4,16 €/m2) e no fim a Calheta (2,34 €/m2).  Estabelecendo um ranking dos municípios do país, o Funchal surge em 15.º lugar, em termos de renda mais elevada, depois de Lisboa, Porto e de municípios que fazem parte das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto e da região do Algarve. No semestre anterior, o Funchal surgia em 12.º lugar.

Valor por metro quadrado das rendas de habitação na RAM decresceu ligeiramente face aos semestres anterior e homólogo
Segundo informação hoje divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no 1.º semestre de 2020 (últimos 12 meses), o valor mediano das rendas dos 1 134 novos contratos de arrendamento de alojamentos familiares, celebrados na RAM, foi de 5,98 €/m2.  Relativamente ao semestre precedente, observou-se um acréscimo de novos contratos, de +9,1%, registando-se, no entanto, uma diminuição de -0,2% no valor mediano das respetivas rendas. Comparativamente ao 1.º semestre de 2019, observaram-se, pela mesma ordem, variações de +13,3%  e de -0,3%. Entre as sete regiões NUTS II, a RAM posicionou-se como a terceira região com o valor mediano das rendas mais elevado (lugar que partilhou com a Área Metropolitana do Porto, ambas com 5,98 €/m2), atrás da Área Metropolitana de Lisboa (8,42 €/m2) e do Algarve (6,54 €/m2). Note-se que a média nacional correspondia a 5,47 €/m2. Considerado o limiar mínimo (30 transações) estabelecido para efeitos de difusão, apenas foi possível disponibilizar dados para o Funchal, seus municípios contíguos, Câmara de Lobos e Santa Cruz, Machico e Calheta. No período em referência, o Funchal concentrou 769 dos 1 134 novos contratos de arrendamento, seguido de Santa Cruz com 175, Câmara de Lobos com 47, Calheta com 43 e Machico com 38. No que diz respeito ao valor mediano de rendas entre municípios, verifica-se que o Funchal (6,84 €/m2) registou o valor mais elevado, para além de ser o único a superar o valor da Região (5,98 €/m2), seguindo-se Santa Cruz (5,46 €/m2), Câmara de Lobos (4,70€/m2), Machico (4,16 €/m2) e no fim a Calheta (2,34 €/m2).  Estabelecendo um ranking dos municípios do país, o Funchal surge em 15.º lugar, em termos de renda mais elevada, depois de Lisboa, Porto e de municípios que fazem parte das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto e da região do Algarve. No semestre anterior, o Funchal surgia em 12.º lugar.