Ucrânia: Guterres "em segurança", mas "chocado" com bombardeamentos em Kiev

 O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que se encontra em visita a Kiev, "está seguro", mas "chocado" após a capital ucraniana ter sido atingida por bombardeamentos russos no início da noite de hoje, disseram fontes oficiais. "Estamos seguros", disse a jornalistas Saviano Andreu, porta-voz do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês). À agência France-Presse (AFP), Andreu referiu ainda que "é uma zona de guerra, mas é chocante que tenha acontecido perto" de onde a delegação de Guterres está. Kiev foi alvo hoje de pelo menos dois bombardeamentos por parte das forças russas enquanto decorre a visita do secretário-geral da ONU, segundo autoridades locais e jornalistas da AFP. Os correspondentes da AFP viram no local um edifício em chamas, janelas partidas, uma forte presença policial e socorristas. O presidente da Câmara de Kiev, Vitali Klitschko, confirmou no Telegram "dois ataques" a um dos distritos da capital.

Ucrânia: Guterres "em segurança", mas "chocado" com bombardeamentos em Kiev
 O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que se encontra em visita a Kiev, "está seguro", mas "chocado" após a capital ucraniana ter sido atingida por bombardeamentos russos no início da noite de hoje, disseram fontes oficiais. "Estamos seguros", disse a jornalistas Saviano Andreu, porta-voz do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês). À agência France-Presse (AFP), Andreu referiu ainda que "é uma zona de guerra, mas é chocante que tenha acontecido perto" de onde a delegação de Guterres está. Kiev foi alvo hoje de pelo menos dois bombardeamentos por parte das forças russas enquanto decorre a visita do secretário-geral da ONU, segundo autoridades locais e jornalistas da AFP. Os correspondentes da AFP viram no local um edifício em chamas, janelas partidas, uma forte presença policial e socorristas. O presidente da Câmara de Kiev, Vitali Klitschko, confirmou no Telegram "dois ataques" a um dos distritos da capital.