Turismo: “Hoje, as pessoas querem um local geograficamente mais próximo”

Na conferência ‘Tecnologia: a próxima geração’ abriu-se já o painel direcionado para o turismo. Trata-se de uma organização da Altice Empresas, em parceria com o JM que decorre ao longo do dia no Savoy Palace, com moderação de Agostinho Silva e Miguel Guarda. ‘Expandir as fronteiras com o turismo de nova geração’ é o tema proposto, com intervenções de António Almeida, Eduardo Jesus, António Trindade, Martim Pessanha e Francisco Matos Chaves, com essa base de que em Portugal 20% das viagens são hoje compradas online, tendo ainda como dado acrescido que no Youtube 80% das pesquisas sobre o tem são para ver vídeos daquilo quer o turista poderá fazer nos respetivos destinos de férias. Ou seja, tudo gira à volta das respostas que a tecnologia pode dar. António Almeida, presidente do Observatório do Turismo da Madeira protagonizou a primeira intervenção nesta temática. Abordando as novas tendências no turismo, “hoje em dia as pessoas pretendem estar num local geograficamente próximo”, a que não serão alheios os mais recentes acontecimentos, como seja a pandemia a invasão da Ucrânia. Pese esta realidade, certo é que “higiene e saúde continuam no topo das preocupações”, pormenorizando uma nova tendência numa camada menos jovens, entre os que podem, que “hoje substituem o lar de idosos pelos cruzeiros, vivendo com grande qualidade de vida”. “Ficar retido, por exemplo, nas Filipinas, não será o mesmo que ficar retido na Madeira”, diferenciando a vantagem regional nas escolhas como destino de férias, mormente dos europeus. Em termos de recursos humanos, António Almeida também deteta que “muitos aproveitaram a pandemia para migrar para outras profissões”, apontando também que “pessoas em condição de reforma estão a voltar apo trabalho ativo”. “O produto turismo pode não ser a primeira opção”, alerta António Almeida, face à escalada da inflação, nomeadamente no mercado da habitação, que afeta, principalmente, os jovens.

Turismo: “Hoje, as pessoas querem um local geograficamente mais próximo”
Na conferência ‘Tecnologia: a próxima geração’ abriu-se já o painel direcionado para o turismo. Trata-se de uma organização da Altice Empresas, em parceria com o JM que decorre ao longo do dia no Savoy Palace, com moderação de Agostinho Silva e Miguel Guarda. ‘Expandir as fronteiras com o turismo de nova geração’ é o tema proposto, com intervenções de António Almeida, Eduardo Jesus, António Trindade, Martim Pessanha e Francisco Matos Chaves, com essa base de que em Portugal 20% das viagens são hoje compradas online, tendo ainda como dado acrescido que no Youtube 80% das pesquisas sobre o tem são para ver vídeos daquilo quer o turista poderá fazer nos respetivos destinos de férias. Ou seja, tudo gira à volta das respostas que a tecnologia pode dar. António Almeida, presidente do Observatório do Turismo da Madeira protagonizou a primeira intervenção nesta temática. Abordando as novas tendências no turismo, “hoje em dia as pessoas pretendem estar num local geograficamente próximo”, a que não serão alheios os mais recentes acontecimentos, como seja a pandemia a invasão da Ucrânia. Pese esta realidade, certo é que “higiene e saúde continuam no topo das preocupações”, pormenorizando uma nova tendência numa camada menos jovens, entre os que podem, que “hoje substituem o lar de idosos pelos cruzeiros, vivendo com grande qualidade de vida”. “Ficar retido, por exemplo, nas Filipinas, não será o mesmo que ficar retido na Madeira”, diferenciando a vantagem regional nas escolhas como destino de férias, mormente dos europeus. Em termos de recursos humanos, António Almeida também deteta que “muitos aproveitaram a pandemia para migrar para outras profissões”, apontando também que “pessoas em condição de reforma estão a voltar apo trabalho ativo”. “O produto turismo pode não ser a primeira opção”, alerta António Almeida, face à escalada da inflação, nomeadamente no mercado da habitação, que afeta, principalmente, os jovens.