Smart Cities: Municípios na Madeira estão "um passo à frente" devido à proximidade com o Governo Regional

Pedro Calado, presidente da Câmara Municipal do Funchal, entende que a Madeira está "um passo à frente" na evolução para as cidades inteligentes e sustentáveis, em relação ao todo nacional, graças à proximidade com o Governo Regional. “O Funchal, e podia falar pelos outros municípios, beneficia de uma proximidade do Governo Regional. Na Madeira, todos nós beneficiamos de muito investimento do Governo Regional", disse o autarca funchalense, lembrando, a título de exemplo, o investimento de 12 milhões de euros no cabo submarino EllaLink. Pedro Calado considerou, por isso, que, na Região, "tem havido uma visão mais à frente do que tem havido a nível nacional", lembrando que "as centenas de empresas que se fixaram cá na Madeira" são prova da descentralização. Falando sobre o desenvolvimento da cidade nesse sentido, o presidente da Câmara do Funchal realçou que "75% das interações feitas com o município já são feitas via informática". Pedro Calado defendeu que, em termos de desenvolvimento tecnológico, o Funchal está a par ou mesmo um passo à frente das restantes cidades portuguesas. "Mas não podemos esquecer as reais necessidades da população", vincou. "Não vamos atrás de estudos que dizem que as cidades têm de ter grandes passeios e ciclovias", atirou, recusando também "embarcar em teorias tontas", numa referência ao encerramento da Avenida da Liberdade aos domingos, em Lisboa.

Smart Cities: Municípios na Madeira estão "um passo à frente" devido à proximidade com o Governo Regional
Pedro Calado, presidente da Câmara Municipal do Funchal, entende que a Madeira está "um passo à frente" na evolução para as cidades inteligentes e sustentáveis, em relação ao todo nacional, graças à proximidade com o Governo Regional. “O Funchal, e podia falar pelos outros municípios, beneficia de uma proximidade do Governo Regional. Na Madeira, todos nós beneficiamos de muito investimento do Governo Regional", disse o autarca funchalense, lembrando, a título de exemplo, o investimento de 12 milhões de euros no cabo submarino EllaLink. Pedro Calado considerou, por isso, que, na Região, "tem havido uma visão mais à frente do que tem havido a nível nacional", lembrando que "as centenas de empresas que se fixaram cá na Madeira" são prova da descentralização. Falando sobre o desenvolvimento da cidade nesse sentido, o presidente da Câmara do Funchal realçou que "75% das interações feitas com o município já são feitas via informática". Pedro Calado defendeu que, em termos de desenvolvimento tecnológico, o Funchal está a par ou mesmo um passo à frente das restantes cidades portuguesas. "Mas não podemos esquecer as reais necessidades da população", vincou. "Não vamos atrás de estudos que dizem que as cidades têm de ter grandes passeios e ciclovias", atirou, recusando também "embarcar em teorias tontas", numa referência ao encerramento da Avenida da Liberdade aos domingos, em Lisboa.