Santa Cruz anuncia que vai agilizar subsídio de risco aos bombeiros e funcionários de limpeza

O presidente da autarquia de Santa Cruz anunciou hoje, na habitual reunião camarária, que se realizou via Skype, que está a ser agilizado o pagamento de um subsídio de risco aos bombeiros do concelho, bem como aos funcionários camarários da limpeza e recolha de lixo. No total, são cerca de 180 os trabalhadores abrangidos. De acordo com Filipe Sousa, esta "é uma forma de valorizar estes trabalhadores que têm sido incansáveis e que todos os dias trabalham para garantir áreas tão importantes como a segurança e higiene das populações, mesmo em tempos de pandemia". Na reunião, o presidente deu também a conhecer as medidas que a autarquia tem vindo a implementar no âmbito do Plano de Contingência da COVD-29, como seja a aprovação do plano de contingência, a suspensão de atendimento ao público, a criação de linhas telefónicas diretas para os munícipes contactarem os serviços, a criação de zonas de isolamento para eventualidade de um funcionário afetado, reforço das medidas individuais de proteção dos funcionários que não estão em teletrabalho, de que é exemplo a criação de lavandarias nos  bombeiros e armazém para o pessoal da limpeza urbana e recolha de lixo; a jornada contínua e a redução do número de trabalhadores através de sistema de rotatividade. No âmbito das medidas para o exterior, Filipe Sousa realçou a suspensão de rendas e fatura da água, a criação de serviço de apoio a famílias carenciadas ou impossibilitadas de sair de casa, em colaboração com as juntas de freguesia e outras instituições, a antecipação do pagamento das bolsas de estudo, a suspensão do estacionamento pago, a suspensão de todas as obras públicas no concelho, a suspensão do pagamento de rendas nas áreas concessionadas: mercados, venda ambulante e esplanadas, a desinfeção das áreas públicas em todo o concelho e também nos lares de idosos, Hotel Vila Galé, onde decorre quarentena, e Estabelecimento Prisional.  O autarca relevou ainda o trabalho que está a ser feito no âmbito da recolha de lixo no Vila Galé e na casa dos casos positivos de Santa Cruz para a COVID-19. Resíduos que são recolhidos à parte com equipamento especial e imediatamente encaminhados para a Meia-Serra. Filipe Sousa vincou ainda as propostas já feitas, via AMRAM, para ajuda aos municípios que terão de fazer face a medidas sociais que esta emergência acarreta e que têm perdido receitas dadas as isenções de pagamento em curso. É o exemplo da canalização das verbas do FAM para as contas dos municípios, e do prazo de carência do PAEL.  O presidente alertou também para o esforço que terá ser feito no pós-pandemia, pois a pandemia social, como o desemprego e a perda de rendimentos das famílias, será um desafio que terá de ser enfrentado.     

Santa Cruz anuncia que vai agilizar subsídio de risco aos bombeiros e funcionários de limpeza
O presidente da autarquia de Santa Cruz anunciou hoje, na habitual reunião camarária, que se realizou via Skype, que está a ser agilizado o pagamento de um subsídio de risco aos bombeiros do concelho, bem como aos funcionários camarários da limpeza e recolha de lixo. No total, são cerca de 180 os trabalhadores abrangidos. De acordo com Filipe Sousa, esta "é uma forma de valorizar estes trabalhadores que têm sido incansáveis e que todos os dias trabalham para garantir áreas tão importantes como a segurança e higiene das populações, mesmo em tempos de pandemia". Na reunião, o presidente deu também a conhecer as medidas que a autarquia tem vindo a implementar no âmbito do Plano de Contingência da COVD-29, como seja a aprovação do plano de contingência, a suspensão de atendimento ao público, a criação de linhas telefónicas diretas para os munícipes contactarem os serviços, a criação de zonas de isolamento para eventualidade de um funcionário afetado, reforço das medidas individuais de proteção dos funcionários que não estão em teletrabalho, de que é exemplo a criação de lavandarias nos  bombeiros e armazém para o pessoal da limpeza urbana e recolha de lixo; a jornada contínua e a redução do número de trabalhadores através de sistema de rotatividade. No âmbito das medidas para o exterior, Filipe Sousa realçou a suspensão de rendas e fatura da água, a criação de serviço de apoio a famílias carenciadas ou impossibilitadas de sair de casa, em colaboração com as juntas de freguesia e outras instituições, a antecipação do pagamento das bolsas de estudo, a suspensão do estacionamento pago, a suspensão de todas as obras públicas no concelho, a suspensão do pagamento de rendas nas áreas concessionadas: mercados, venda ambulante e esplanadas, a desinfeção das áreas públicas em todo o concelho e também nos lares de idosos, Hotel Vila Galé, onde decorre quarentena, e Estabelecimento Prisional.  O autarca relevou ainda o trabalho que está a ser feito no âmbito da recolha de lixo no Vila Galé e na casa dos casos positivos de Santa Cruz para a COVID-19. Resíduos que são recolhidos à parte com equipamento especial e imediatamente encaminhados para a Meia-Serra. Filipe Sousa vincou ainda as propostas já feitas, via AMRAM, para ajuda aos municípios que terão de fazer face a medidas sociais que esta emergência acarreta e que têm perdido receitas dadas as isenções de pagamento em curso. É o exemplo da canalização das verbas do FAM para as contas dos municípios, e do prazo de carência do PAEL.  O presidente alertou também para o esforço que terá ser feito no pós-pandemia, pois a pandemia social, como o desemprego e a perda de rendimentos das famílias, será um desafio que terá de ser enfrentado.