RIR "repudia atitude" do presidente da Câmara Municipal do Funchal

O Partido RIR "repudia a atitude" do presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, que abandonou, esta segunda-feira, a Sessão da Assembleia Municipal do Funchal quando estavam a ser discutidas propostas. Num comunicado enviado às redações e assinado pelo coordenador desta força política, as propostas em discussão compreendiam apoios ao comércio local, instituições de cariz social e cultura, além da isenção do IMI. “Todas as propostas apresentadas, não tiveram o voto favorável de nenhum deputado que suporta esta Câmara Socialista, pelo contrário, limitaram-se ao silêncio, não se pronunciando sobre nenhuma das propostas”, lê-se no comunicado assinado por Roberto Vieira. “É lamentável que o Presidente da Câmara, tenha marcado presença apenas no início da sessão, falado à televisão e depois abandonado a sala, constatando-se que o mesmo só foi para aparecer na TV e depois voltar costas a quem o ‘elegeu’”, acrescenta-se na nota do RIR. “A justificação dada aos muitos problemas que afetam o Funchal, é que Orçamento Municipal não foi aprovado, mas não passa de uma grande mentira, pois existe dinheiro para viagens (300 mil euros), para montagem de palcos (350 mil euros), para a moda (90 mil euros), para fogo de artifício, para sinalização de sarjetas, entre tantas outras despesas sem sentido para o Funchal e para os Funchalenses”.

RIR "repudia atitude" do presidente da Câmara Municipal do Funchal
O Partido RIR "repudia a atitude" do presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, que abandonou, esta segunda-feira, a Sessão da Assembleia Municipal do Funchal quando estavam a ser discutidas propostas. Num comunicado enviado às redações e assinado pelo coordenador desta força política, as propostas em discussão compreendiam apoios ao comércio local, instituições de cariz social e cultura, além da isenção do IMI. “Todas as propostas apresentadas, não tiveram o voto favorável de nenhum deputado que suporta esta Câmara Socialista, pelo contrário, limitaram-se ao silêncio, não se pronunciando sobre nenhuma das propostas”, lê-se no comunicado assinado por Roberto Vieira. “É lamentável que o Presidente da Câmara, tenha marcado presença apenas no início da sessão, falado à televisão e depois abandonado a sala, constatando-se que o mesmo só foi para aparecer na TV e depois voltar costas a quem o ‘elegeu’”, acrescenta-se na nota do RIR. “A justificação dada aos muitos problemas que afetam o Funchal, é que Orçamento Municipal não foi aprovado, mas não passa de uma grande mentira, pois existe dinheiro para viagens (300 mil euros), para montagem de palcos (350 mil euros), para a moda (90 mil euros), para fogo de artifício, para sinalização de sarjetas, entre tantas outras despesas sem sentido para o Funchal e para os Funchalenses”.