RIR pede que não sejam esquecidas classes trabalhadoras com carreiras congeladas

"O partido socialista e a esquerda caviar vêm negociando o orçamento de estado sempre a pensar no aumento do salário mínimo nacional, contudo, de propósito ou por esquecimento, esquecem-se que as restantes classes trabalhadoras estão com as carreiras congeladas há vários anos e sem aumento salarial". A afirmação é do coordenador do partido RIR na Madeira, Roberto Vieira, que, numa nota enviada à redação, lembra que "por esta razão muitos dos trabalhadores, encontram-se desmotivados e revoltados, uma vez que muitos têm que ensinar e orientar os novos trabalhadores, que vão receber o mesmo que aqueles que desempanham funções há 10, 20, 30 anos." Roberto Vieira considera "lamentável e revoltante" que um "assistente assistente operacional, um assistente técnico ou um técnico Superior, com 10, 20, 30 anos de serviço" receba "o mesmo que um trabalhador na mesma categoria que comece a trabalhar hoje".  "O partido RIR desafia todos os trabalhadores que nas próximas eleições mostrem um cartão vermelho a esta gente que nos governa, que em campanha eleitoral dizem um coisa e depois fazem outra, sendo mais repugnante que aqueles que apoiavam a descida da idade da reforma e o aumento dos salários, tenham votado a favor do aumento da idade da reforma, do congelamento de carreiras e do congelamento salarial", acrescenta a mesma nota, que apela ainda a que "todos aqueles que se revejam nestas injustiças denunciem estes vededores de banha de cobra, através das redes sociais e no boca a boca, para que estes sintam que o povo, os trabalhadores e suas famílias, não estão nada satisfeitos com o sr. Costa e a sua clã de falsos esquerdistas, que defendem os seus tachos e os seus bolsos, esquecendo todos aqueles que enganados os elegeram."

RIR pede que não sejam esquecidas classes trabalhadoras com carreiras congeladas
"O partido socialista e a esquerda caviar vêm negociando o orçamento de estado sempre a pensar no aumento do salário mínimo nacional, contudo, de propósito ou por esquecimento, esquecem-se que as restantes classes trabalhadoras estão com as carreiras congeladas há vários anos e sem aumento salarial". A afirmação é do coordenador do partido RIR na Madeira, Roberto Vieira, que, numa nota enviada à redação, lembra que "por esta razão muitos dos trabalhadores, encontram-se desmotivados e revoltados, uma vez que muitos têm que ensinar e orientar os novos trabalhadores, que vão receber o mesmo que aqueles que desempanham funções há 10, 20, 30 anos." Roberto Vieira considera "lamentável e revoltante" que um "assistente assistente operacional, um assistente técnico ou um técnico Superior, com 10, 20, 30 anos de serviço" receba "o mesmo que um trabalhador na mesma categoria que comece a trabalhar hoje".  "O partido RIR desafia todos os trabalhadores que nas próximas eleições mostrem um cartão vermelho a esta gente que nos governa, que em campanha eleitoral dizem um coisa e depois fazem outra, sendo mais repugnante que aqueles que apoiavam a descida da idade da reforma e o aumento dos salários, tenham votado a favor do aumento da idade da reforma, do congelamento de carreiras e do congelamento salarial", acrescenta a mesma nota, que apela ainda a que "todos aqueles que se revejam nestas injustiças denunciem estes vededores de banha de cobra, através das redes sociais e no boca a boca, para que estes sintam que o povo, os trabalhadores e suas famílias, não estão nada satisfeitos com o sr. Costa e a sua clã de falsos esquerdistas, que defendem os seus tachos e os seus bolsos, esquecendo todos aqueles que enganados os elegeram."