PTP defende remoção das estruturas de aquacultura da Calheta

A candidatura do Partido Trabalhista Português (PTP) às eleições legislativas da Madeira apelidou hoje de “gaiolas” as estruturas colocadas no mar na zona da Calheta para a prática de aquacultura e defendeu a sua remoção. “Imaginem um turista...

PTP defende remoção das estruturas de aquacultura da Calheta
A candidatura do Partido Trabalhista Português (PTP) às eleições legislativas da Madeira apelidou hoje de “gaiolas” as estruturas colocadas no mar na zona da Calheta para a prática de aquacultura e defendeu a sua remoção. “Imaginem um turista sentado numa varanda a olhar para uma estrutura industrial no meio do mar. Quer ver o pôr do sol, quer observar a linda paisagem da Madeira e depara-se com estas gaiolas absurdas que o doutor Miguel Albuquerque meteu aqui”, afirmou aos jornalistas o candidato do PTP Gil Canha. Uma comitiva do PTP visitou ao final da manhã a freguesia do Arco da Calheta, onde são visíveis no mar estruturas de aquacultura, que na opinião do PTP “são uma vergonha para a Madeira”, pelo seu “impacto visual”. “Perguntem ao doutor Miguel Albuquerque se acha bem meter gaiolas no Mónaco, na costa Amalfitana (Itália) ou noutras zonas famosas de outros países. A Madeira não pode ser poluída com a industrialização do mar”, afirmou Gil Canha. No entanto, o candidato do PTP admitiu que estas estruturas possam ser utilizadas em “zonas mais recônditas” da Região, onde “o impacto visual não teria tanta importância”. “O objetivo destes senhores é terem [as estruturas] perto das marinas, para poderem abastecer rapidamente, mas esquecem-se de que existem terceiros que vivem do turismo, da natureza e que não podem pactuar, nem aceitar esta pouca vergonha”, sublinhou. No seguimento destas críticas, o PTP lamentou, ainda, o facto de o atual Governo Regional não ter implementado um plano de ordenamento da orla costeira. “A Madeira é a única região da Europa que não tem planos de ordenamento da orla costeira. O doutor Alberto João Jardim e o doutor Miguel Albuquerque nunca avançaram para permitir que os patos bravos façam autêntica pirataria na nossa costa”, concluiu.