PSP aciona plano judicial e disciplinar a agente acusado de violência doméstica no Porto Santo

O Comando Regional da Polícia de Segurança Pública da Madeira confirmou, ao JM, que já tomou todas as medidas legais aplicáveis no plano judicial e também administrativo e judicial ao agente da PSP que está a ser acusado, no Porto Santo, de ter submetido a mulher a atos de violência doméstica. Uma mulher, com cargo na Câmara Municipal do Porto Santo, terá apresentado queixa contra o agressor, seu marido. Ao que nos foi dito, o homem já é reincidente. O agente exercia funções na Madeira mas terá sido transferido para o Porto Santo por ter também sido alvo de queixas por parte da primeira mulher. "Como é do conhecimento dos senhores jornalistas, o Comando Regional da PSP não identifica ou particularliza publicamente quaisquer cidadãos que tenham sido alvo de ação ou intervenção policial, sendo que neste tipo de inquéritos, é frequentemente decretado pelo Minisitério Público- titular da Ação Penal, o secrego de justiça", refere, em resposta ao JM, a PSP-Madeira, quando questionada sobre as denúncias chegadas ao Jornal.

PSP aciona plano judicial e disciplinar a agente acusado de violência doméstica no Porto Santo
O Comando Regional da Polícia de Segurança Pública da Madeira confirmou, ao JM, que já tomou todas as medidas legais aplicáveis no plano judicial e também administrativo e judicial ao agente da PSP que está a ser acusado, no Porto Santo, de ter submetido a mulher a atos de violência doméstica. Uma mulher, com cargo na Câmara Municipal do Porto Santo, terá apresentado queixa contra o agressor, seu marido. Ao que nos foi dito, o homem já é reincidente. O agente exercia funções na Madeira mas terá sido transferido para o Porto Santo por ter também sido alvo de queixas por parte da primeira mulher. "Como é do conhecimento dos senhores jornalistas, o Comando Regional da PSP não identifica ou particularliza publicamente quaisquer cidadãos que tenham sido alvo de ação ou intervenção policial, sendo que neste tipo de inquéritos, é frequentemente decretado pelo Minisitério Público- titular da Ação Penal, o secrego de justiça", refere, em resposta ao JM, a PSP-Madeira, quando questionada sobre as denúncias chegadas ao Jornal.