PSD-M diz que recorre se forem anulados os votos

A estrutura regional do PSD emitiu já um comunicado, referenciando que Miguel Pinto Luz ficou em primeiro lugar na votação da Região e relevando que recorrerá caso sejam anulados os votos registados na Região. É o seguinte o comunicado, na...

PSD-M diz que recorre se forem anulados os votos
A estrutura regional do PSD emitiu já um comunicado, referenciando que Miguel Pinto Luz ficou em primeiro lugar na votação da Região e relevando que recorrerá caso sejam anulados os votos registados na Região. É o seguinte o comunicado, na íntegra, emanado na Rua do Netos “1. Em coerência com a posição assumida, desde a primeira hora, o PSD/Madeira promoveu, ao longo desta tarde, a votação dos cerca de 2.500 militantes do Partido que, tendo as suas quotas pagas, tinham toda a legitimidade para exercer o seu direito de voto neste ato eleitoral. 2. Desta votação, resultaram os seguintes resultados: 2.242 inscritos 1.712 votantes 9 Brancos 21 Nulos Miguel Pinto Luz - 863 votos Rui Rio - 544 votos Luís Montenegro - 275 votos 3. Pese embora toda a polémica que marcou a presente votação, o Secretariado do PSD/Madeira manteve e reitera a defesa incondicional daqueles que são os interesses dos militantes Social-democratas da Região, assim como reafirma, neste momento, a salvaguarda da autonomia estatutária do PSD/Madeira, autonomia essa que, durante mais de 40 anos, foi sempre reconhecida pelas diferentes e sucessivas Direções Nacionais do Partido, tendo sido a base para a eleição tanto dos Presidentes do PSD na Região, quanto dos Presidentes do PSD a nível nacional, sem nunca ter sido antes posta em causa. 4. Lamentando o facto de estas Eleições terem sido desviadas do seu principal propósito, assim como o tratamento que foi dado aos militantes da única Região do país onde o PSD resiste e se mantém na governação, ao fim de 43 anos – Região essa que, só no ano passado, deu três vitorias eleitorais ao Partido – o PSD/Madeira sublinha a sua coerência neste procedimento e informa, por fim, que, haverá espaço para recorrer, caso venham a ser excluídos ou anulados os votos”.