PS-Funchal elogia orçamento participativo

A concelhia do Funchal do Partido Socialista visitou, esta quinta-feira, no âmbito da iniciativa “Pelo Funchal”, o autocarro do Orçamento Participativo, que se encontrava estacionado junto ao CentroMar, na freguesia de São Martinho.  A visita aconteceu numa altura em que decorre a 3ª edição do Orçamento Participativo do Funchal e visou abordar questões sobre a importância do papel da democracia participativa no município e sobre como funciona todo este processo deliberativo que confere poder de decisão direto aos cidadãos. O presidente da concelhia, Paulo Bruno Ferreira, elogiou, desde logo, o esforço por parte da Câmara Municipal do Funchal em dar continuidade a esta iniciativa, que apesar do chumbo do orçamento municipal, muito tem contribuído para aproximar os cidadãos à Democracia e envolvê-los cada vez mais nos processos de decisão. “Não nos podemos esquecer que o Funchal foi pioneiro na região ao lançar em 2014 o primeiro Orçamento Participativo e que este projeto recebeu reconhecimento nacional como a segunda melhor prática de participação do país. Há cada vez mais um despertar de consciência e uma maior responsabilidade de participação por parte dos cidadãos.” Na ocasião, Paulo Bruno Ferreira frisou ainda que “as pessoas querem fazer parte deste projeto e querem o melhor para a sua cidade. Exemplo disso são alguns dos projetos vencedores das edições anteriores como o Skate Park, a ampliação do Ginásio Municipal de São Martinho, os carregadores USB nas paragens de autocarro, o Wi-Fi gratuito em toda a cidade e até mesmo a criação da primeira praia inclusiva, que surgiu no âmbito do projeto acessibilidades ao mar para pessoas com necessidades motoras especiais.” Esta semana o autocarro já percorreu algumas artérias da cidade, entre elas a zona do Almirante Reis e o Jardim de Santa Luzia, mas tal como a iniciativa “Pelo Funchal” o autocarro do Orçamento Participativo, que está equipado com um computador, irá percorrer as 10 freguesias do concelho, para que os cidadãos, devidamente acompanhados pelos técnicos, possam submeter as suas propostas. Até 15 de setembro todos os cidadãos e cidadãs poderão submeter as suas ideias, que depois serão alvo de análise técnica pelos serviços da Câmara Municipal do Funchal, entre os meses de setembro a outubro. Segue-se a fase de votação dos projetos que decorre de 16 de outubro a 29 de novembro, e onde vai ser possível votar online e por um sistema de SMS que será disponibilizado pela Autarquia durante o período de votação. Os projetos vencedores vão ser conhecidos no final do mês de novembro. Paulo Bruno Ferreira concluiu dizendo que “apesar da 3ª edição ter avançado noutros moldes devido à pandemia e de não se terem realizado os encontros participativos como tem vindo a ser feito nas outras edições, a participação não deve ser deixada para segundo plano, até porque o Funchal sempre valorizou todos aqueles que contribuem para a construção de uma cidade mais democrática.”

PS-Funchal elogia orçamento participativo
A concelhia do Funchal do Partido Socialista visitou, esta quinta-feira, no âmbito da iniciativa “Pelo Funchal”, o autocarro do Orçamento Participativo, que se encontrava estacionado junto ao CentroMar, na freguesia de São Martinho.  A visita aconteceu numa altura em que decorre a 3ª edição do Orçamento Participativo do Funchal e visou abordar questões sobre a importância do papel da democracia participativa no município e sobre como funciona todo este processo deliberativo que confere poder de decisão direto aos cidadãos. O presidente da concelhia, Paulo Bruno Ferreira, elogiou, desde logo, o esforço por parte da Câmara Municipal do Funchal em dar continuidade a esta iniciativa, que apesar do chumbo do orçamento municipal, muito tem contribuído para aproximar os cidadãos à Democracia e envolvê-los cada vez mais nos processos de decisão. “Não nos podemos esquecer que o Funchal foi pioneiro na região ao lançar em 2014 o primeiro Orçamento Participativo e que este projeto recebeu reconhecimento nacional como a segunda melhor prática de participação do país. Há cada vez mais um despertar de consciência e uma maior responsabilidade de participação por parte dos cidadãos.” Na ocasião, Paulo Bruno Ferreira frisou ainda que “as pessoas querem fazer parte deste projeto e querem o melhor para a sua cidade. Exemplo disso são alguns dos projetos vencedores das edições anteriores como o Skate Park, a ampliação do Ginásio Municipal de São Martinho, os carregadores USB nas paragens de autocarro, o Wi-Fi gratuito em toda a cidade e até mesmo a criação da primeira praia inclusiva, que surgiu no âmbito do projeto acessibilidades ao mar para pessoas com necessidades motoras especiais.” Esta semana o autocarro já percorreu algumas artérias da cidade, entre elas a zona do Almirante Reis e o Jardim de Santa Luzia, mas tal como a iniciativa “Pelo Funchal” o autocarro do Orçamento Participativo, que está equipado com um computador, irá percorrer as 10 freguesias do concelho, para que os cidadãos, devidamente acompanhados pelos técnicos, possam submeter as suas propostas. Até 15 de setembro todos os cidadãos e cidadãs poderão submeter as suas ideias, que depois serão alvo de análise técnica pelos serviços da Câmara Municipal do Funchal, entre os meses de setembro a outubro. Segue-se a fase de votação dos projetos que decorre de 16 de outubro a 29 de novembro, e onde vai ser possível votar online e por um sistema de SMS que será disponibilizado pela Autarquia durante o período de votação. Os projetos vencedores vão ser conhecidos no final do mês de novembro. Paulo Bruno Ferreira concluiu dizendo que “apesar da 3ª edição ter avançado noutros moldes devido à pandemia e de não se terem realizado os encontros participativos como tem vindo a ser feito nas outras edições, a participação não deve ser deixada para segundo plano, até porque o Funchal sempre valorizou todos aqueles que contribuem para a construção de uma cidade mais democrática.”