Projeto de arquitetura do Funchal ganha bolsa de investigação do Millennium

O projeto de arquitetura 'Linha Guia e Espaço Comum – Leituras da figuração da água no Sistema de Aproveitamento dos Tornos', da autoria dos jovens arquitetos madeirenses Ana Rita Serra e Silva e Luís Filipe Andrade Fernandes, foi um dos dez premiados com uma bolsa de investigação, no valor de 2.250 euros, do programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura”.  Para além do projeto do Funchal, foram também premiados projetos de Cascais, Mafra, Maia, Porto, Matosinhos, Vila Nova de Gaia e Santa Maria da Feira. Apesar de, inicialmente serem oito as bolsas atribuídas neste programa, o júri decidiu propor aos municípios da Maia, Matosinhos e Vila Nova de Gaia a atribuição de uma segunda bolsa, pelo que foram ainda atribuídas no total  de dez.  De referir que o Programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura” consiste no apoio ao desenvolvimento de trabalhos inéditos de investigação que permitam um conhecimento aprofundado sobre o modo como o património arquitetónico do século XX marcou ou “fez cidade” em Portugal. Trata-se de um Programa de Bolsas de Investigação, lançado a nível nacional, no âmbito da Cidade e da Arquitetura, entendido como um apoio a jovens na realização de um trabalho inédito de investigação, com a duração de três meses, e tendo como objeto de estudo o património arquitetónico dos municípios. Este ano, foram apresentados, ao todo, 28 candidaturas, distribuídas por oito municípios. Do Funchal foram apresentadas três candidaturas.

Projeto de arquitetura do Funchal ganha bolsa de investigação do Millennium
O projeto de arquitetura 'Linha Guia e Espaço Comum – Leituras da figuração da água no Sistema de Aproveitamento dos Tornos', da autoria dos jovens arquitetos madeirenses Ana Rita Serra e Silva e Luís Filipe Andrade Fernandes, foi um dos dez premiados com uma bolsa de investigação, no valor de 2.250 euros, do programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura”.  Para além do projeto do Funchal, foram também premiados projetos de Cascais, Mafra, Maia, Porto, Matosinhos, Vila Nova de Gaia e Santa Maria da Feira. Apesar de, inicialmente serem oito as bolsas atribuídas neste programa, o júri decidiu propor aos municípios da Maia, Matosinhos e Vila Nova de Gaia a atribuição de uma segunda bolsa, pelo que foram ainda atribuídas no total  de dez.  De referir que o Programa Millennium de Bolsas de Investigação “Cidade e Arquitetura” consiste no apoio ao desenvolvimento de trabalhos inéditos de investigação que permitam um conhecimento aprofundado sobre o modo como o património arquitetónico do século XX marcou ou “fez cidade” em Portugal. Trata-se de um Programa de Bolsas de Investigação, lançado a nível nacional, no âmbito da Cidade e da Arquitetura, entendido como um apoio a jovens na realização de um trabalho inédito de investigação, com a duração de três meses, e tendo como objeto de estudo o património arquitetónico dos municípios. Este ano, foram apresentados, ao todo, 28 candidaturas, distribuídas por oito municípios. Do Funchal foram apresentadas três candidaturas.