Pedro Nunes lança ‘Da Boca p’ra Fora’ numa apresentação irreverente e divertida

Irreverente, divertido e espontâneo, são algumas das qualidades do médico dentista Pedro Nunes, que ficaram bem evidenciadas, esta tarde, na apresentação do seu livro, ‘Da Boca p’ra Fora’, num auditório completamente cheio do Museu de Eletricidade...

Pedro Nunes lança ‘Da Boca p’ra Fora’ numa apresentação irreverente e divertida
Irreverente, divertido e espontâneo, são algumas das qualidades do médico dentista Pedro Nunes, que ficaram bem evidenciadas, esta tarde, na apresentação do seu livro, ‘Da Boca p’ra Fora’, num auditório completamente cheio do Museu de Eletricidade – Casa da Luz. Entre vários agradecimentos e promessas de ‘ajustes’ de contas, houve ainda tempo para o concretizar de um sonho, com o autor a atirar um livro para a plateia, ou não fosse hoje o dia “do lançamento do livro”. Num discurso recebido com risos e aplausos, Pedro Nunes fez questão de “agradecer os aplausos calorosos”, que confessou só ter recebido uma vez, na sua prática clínica, de uma criança, no fim do tratamento. Porém, admitiu que “nunca soube se era por alegria por termos terminado o tratamento e ter gostado imenso ou se tinha superado o medo. E a partir daí eu tenho imensa dificuldade quando um paciente sai sem me bater uma salva de palmas”, reconheceu. Ainda assim, fez a ressalva que esse ‘anseio’ poderá estar relacionado com o facto de, a certa altura da sua vida, ter querido “ser piloto de aviões. E eles recebem sempre uma salva de palmas cada vez que põem o avião no chão, coisa que eu não entendo, porque eu penso que ele tem o mesmo interesse em aterrar do que eu”, sublinhou. Mais a sério, o autor de ‘Da Boca p’ra Fora’, a estreia na edição de livros do JM, agradeceu ao JM “pela oportunidade de escrever de 15 em 15 dias, páginas em branco, que eu possa escrever tudo aquilo que entender, sem nunca me terem tentado condicionar rigorosamente nada”. Uma ‘liberdade’ que ‘lembrou’ ter ao resto da plateia. “É curioso ter aqui uma sala cheia e eu vou ficar sempre na dúvida se todos os que aqui estão vieram realmente por vontade ou se com algum receio que eu pudesse escrever sobre isso”, questionou. “Mas estejam descansados, porque posso garantir-vos que o risco de isso acontecer continua exatamente o mesmo. No domingo sai mais um artigo e pode vir a sair alguma coisa daqui”, avisou. E antes do ‘lançamento’ do livro, o médico dentista chamou ao palco algumas pessoas cruciais para o concretizar da obra: Nelson Caires, responsável pela capa, Filipa Aveiro, pelo design do livro e David Monteiro, que ilustrou a obra, mas que não pôde estar presente, por estar fora da Madeira. Pedro Nunes chamou ainda o subdiretor do JM, Edmar Fernandes, “o principal ‘culpado’ de eu ter começado a escrever no JM, uma proposta que me deixou completamente desarmado e que me levou a aceitar, mas sem saber no que me estava a meter”, disse. Antes, o diretor do JM, Agostinho Silva, realçou que ‘Da Boca p’ra Fora’ é o primeiro livro de uma série que vai reunir textos de outros autores. “Começámos da melhor forma, porque a irreverência do Pedro representa também aquilo que nós queremos oferecer aos nossos leitores”, frisou. “Estamos muito bem servidos de colaboradores também nas páginas de opinião, como podem constatar no dia a dia”, acrescentou. Refira-se que ‘Da Boca p’ra Fora’ tem duas versões, uma de maior dimensões, a 13 euros, e outra de dimensão mais reduzida, a 3 euros, mas ambas com exatamente o mesmo conteúdo. A primeira estará à venda nas livrarias da Madeira e a segunda poderá ser encontrada em mais de duas centenas de postos de bancas de jornais de toda a ilha.