Paulo Cafôfo defende criação de mais oportunidades e emprego na zona norte da Ilha

Combater a desertificação dos concelhos mais a norte da Ilha com uma política mais ativa na criação de incentivos para fixar jovens e famílias é uma medida proposta pela candidatura liderada por Paulo Cafôfo para dar uma nova dinâmica nesta...

Paulo Cafôfo defende criação de mais oportunidades e emprego na zona norte da Ilha
Combater a desertificação dos concelhos mais a norte da Ilha com uma política mais ativa na criação de incentivos para fixar jovens e famílias é uma medida proposta pela candidatura liderada por Paulo Cafôfo para dar uma nova dinâmica nesta zona da Região. Promover o empreendedorismo, captar a criação de emprego e a descentralização de serviços públicos são algumas das propostas apresentadas pelo candidato. No segundo dia de campanha para as Regionais, Paulo Cafôfo esteve em contacto com a população em Santana. Para o candidato, "é necessário ter um olhar atento em relação aos concelhos da Região que se debatem com maior desertificação e com menos oportunidades. Não nos podemos focar apenas nos concelhos mais a sul, é necessário ter uma visão integrada de desenvolvimento para toda a ilha, promovendo igualdade de oportunidades e igualdade social". Uma das medidas que o Programa do PS prevê é a criação de Postos de Atendimento ao Cidadão (PAC) no norte da Ilha, de forma a descentralizar os serviços, de forma similar ao que já acontece na ilha do Porto Santo. O objetivo é servir as populações de São Vicente, Porto Moniz e Santana. Reforçar as competências dos Centros de Saúde e ajustar os serviços de atendimento permanente, aplicar à Madeira do Estatuto de Pequena Agricultura Familiar e medidas de repovoamento, políticas de reequilíbrio territorial, de discriminação positiva e de legislação específica para zonas mais vulneráveis são outros dos compromissos que o PS inclui a pensar na zona norte da Ilha. "Implementar medidas que criem aquilo que chamamos uma discriminação positiva é importante para que todos os madeirenses tenham a mesma igualdade de acesso a oportunidades para terem qualidade de vida, uma vida condigna independentemente da zona da Região onde habitem.  Temos de unir todos os madeirenses e porto-santenses para que, juntos, iniciemos um novo ciclo na Região, um novo ciclo de desenvolvimento económico e social para a próxima década, onde todos contam e ninguém fica para trás", conclui Paulo Cafôfo.