Papa fará oração dominical do Angelus em vídeo

O Papa Francisco pronunciará a oração de domingo do Angelus a partir da sua biblioteca, em formato vídeo, e não na janela com vista para a praça de São Pedro, devido ao novo coronavírus, anunciou hoje o Vaticano. De acordo com o Vaticano, a...

Papa fará oração dominical do Angelus em vídeo
O Papa Francisco pronunciará a oração de domingo do Angelus a partir da sua biblioteca, em formato vídeo, e não na janela com vista para a praça de São Pedro, devido ao novo coronavírus, anunciou hoje o Vaticano. De acordo com o Vaticano, a oração do Angelus "terá lugar na biblioteca do palácio apostólico e não sobre a praça de São Pedro, a partir da janela", uma decisão tomada "para evitar os riscos de difusão do Covid-19 ligados à formação de grupos de pessoas ligados aos controlos de acesso à praça de São Pedro". "A oração será transmitida em vídeo em direto através da cadeia Vatican News e através dos ecrãs sobre a praça de São Pedro, de maneira a permitir aos fiéis a participação", pode ainda ler-se no comunicado citado pela agência France-Presse (AFP). O Vaticano explicou ainda que a audiência semanal do Papa, na quarta-feira, "decorrerá nas mesmas condições" que a oração do Angelus. O Angelus de domingo e a audiência de quarta-feira representam uma grande atração para os peregrinos e turistas que visitam Roma e o Vaticano com o objetivo de ver o Papa. Paralelamente, até 15 de março, as missas na Casa de Santa Marta, a residência hoteleira onde vive o Papa, serão anuladas. O Papa Francisco, de 83 anos, está há mais de uma semana sem abandonar a Casa de Santa Marta, a pequenos passos da basílica de Sâo Pedro. A Cidade do Vaticano, o Estado mais pequeno do mundo, com 0,44 quilómetros quadrados, anunciou o seu primeiro caso do novo coronavírus na sexta-feira, detetado no seu centro médico situado perto de uma das portas de acesso ao território. O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou 3.491 mortos e infetou mais de 98 mil pessoas em 87 países e territórios, incluindo nove em Portugal.