MP pede condenação de homem acusado de humilhar e espancar a mulher

O Ministério Público pediu a condenação de um homem acusado de um crime de violência doméstica agravado e de um outro de sequestro agravado, crimes cometidos sobre uma mulher com quem vivia maritalmente há 19 anos. Durante a leitura do acórdão, foi relatada uma situação ocorrida a 23 de julho, numa das “inúmeras vezes” em que a mulher foi agredida. No caso, a mulher “foi humilhada, espancada e até molhada”, tendo posteriormente fugido para “casa de vizinhos” que acabaram por dar o alerta à Polícia de Segurança Pública (PSP).  Depois do alerta a mulher foi transportada para o hospital onde foi tratada, mas ainda assim, necessitou de um período longo de recuperação: “19 dias de baixa médica”. Posteriormente a mulher, que tem um filho menor, foi acolhida numa instituição juntamente com o filho. O alegado agressor, chegou a telefonar várias vezes para a vítima pedindo o seu regresso, afirmando que “iria mudar de atitude e que estava sem dinheiro e sem comida”. O Ministério Público pediu a condenação do homem enquanto a sua advogada de defesa solicitou a absolvição pois “as testemunhas ouvidas não assistiram às alegadas agressões” nem “os factos foram todos provados”. A leitura de sentença está marcada para o próximo dia 15 de julho, pelas 16h00.

MP pede condenação de homem acusado de humilhar e espancar a mulher
O Ministério Público pediu a condenação de um homem acusado de um crime de violência doméstica agravado e de um outro de sequestro agravado, crimes cometidos sobre uma mulher com quem vivia maritalmente há 19 anos. Durante a leitura do acórdão, foi relatada uma situação ocorrida a 23 de julho, numa das “inúmeras vezes” em que a mulher foi agredida. No caso, a mulher “foi humilhada, espancada e até molhada”, tendo posteriormente fugido para “casa de vizinhos” que acabaram por dar o alerta à Polícia de Segurança Pública (PSP).  Depois do alerta a mulher foi transportada para o hospital onde foi tratada, mas ainda assim, necessitou de um período longo de recuperação: “19 dias de baixa médica”. Posteriormente a mulher, que tem um filho menor, foi acolhida numa instituição juntamente com o filho. O alegado agressor, chegou a telefonar várias vezes para a vítima pedindo o seu regresso, afirmando que “iria mudar de atitude e que estava sem dinheiro e sem comida”. O Ministério Público pediu a condenação do homem enquanto a sua advogada de defesa solicitou a absolvição pois “as testemunhas ouvidas não assistiram às alegadas agressões” nem “os factos foram todos provados”. A leitura de sentença está marcada para o próximo dia 15 de julho, pelas 16h00.