Morreu a antiga glória do Benfica Rogério 'Pipi'

Rogério Lantres de Carvalho, o ‘Pipi’ do Benfica, um dos melhores avançados portugueses dos anos 1940 e 1950, morreu este domingo no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, um dia depois de ter completado 97 anos, avança o Correio da Manhã. Nascido...

Morreu a antiga glória do Benfica Rogério 'Pipi'
Rogério Lantres de Carvalho, o ‘Pipi’ do Benfica, um dos melhores avançados portugueses dos anos 1940 e 1950, morreu este domingo no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, um dia depois de ter completado 97 anos, avança o Correio da Manhã. Nascido em Chelas, Lisboa, foi descoberto por Peyroteo, estrela do Sporting, de quem era colega no Grémio das Carnes, num jogo de solteiros e casados. Mas um desacordo quanto a verbas e a falta de interesse dos leões fez o jogador rumar ao Benfica, clube do qual era adepto. Jogou a extremo-esquerdo, embora tivesse dito preferir ser interior e foi o primeiro jogador português a tranferir-se para o campeonato brasileiro, em 1947, onde foi uma aposta do Botafogo no sentido de cativar os emigrantes portugueses, que apoiavam o Vasco da Gama por afinidade quando chegavam ao país.  Contudo, a mulher de ‘Pipi’ engravidou e quis ter o filho em Portugal, o que motivou o regresso ao Benfica em pouco menos de um ano, revela a mesma fonte. Foi o homem que levantou a Taça Latina (1950, vitória 2-1 frente ao Bordéus), a primeira grande conquista internacional do Benfica e do futebol português. No Benfica venceu três campeonatos e seis Taças de Portugal, tendo ficado conhecido como ‘Rei do Jamor’: 15 golos em finais, marca ainda imbatível. Saiu do Benfica (após 310 jogos e 210 golos) quando Otto Gloria apenas quis jogadores profissionais. Rogério trabalhava então num stand da Ford e não quis prescindir disso, mudando-se para o Oriental, fundado pelo pai. Jogava com a camisola 10, de pé direito e sempre com grande elegância. Essa classe e a forma elegante como se vestia fizeram os colegas dar-lhe a alcunha de ‘Pipi’. O velório é este domingo a partir das 17h00 na Igreja São João Brito (Alvalade). O funeral será segunda-feira, a partir das 10h00, com missa, para o cemitério do Lumiar.