Miguel Silva Gouveia recebeu congressistas internacionais

O presidente da Câmara do Funchal recebeu, esta tarde, no Mercado dos Lavradores, parte dos 160 congressistas que se encontram na Madeira para participar na 3ª edição da Conferência Internacional sobre Integridade de Estruturas, que vai decorrer...

Miguel Silva Gouveia recebeu congressistas internacionais
O presidente da Câmara do Funchal recebeu, esta tarde, no Mercado dos Lavradores, parte dos 160 congressistas que se encontram na Madeira para participar na 3ª edição da Conferência Internacional sobre Integridade de Estruturas, que vai decorrer entre os dias 2 e 5 de setembro, organizada Sociedade Europeia de Integridade Estrutural e que, à semelhança das duas primeiras edições, volta a decorrer na Região. Miguel Silva Gouveia enalteceu que "é um prazer para o Funchal receber uma vez mais esta conferência internacional, o que é uma consequência do grande sucesso das edições de 2015 e 2017, e da sua expressão além-fronteiras. Hoje, todos vós estão de regresso ao Funchal, num evento apoiado pela CMF, e que reitera a consideração e o acolhimento que esta edilidade tem dedicado a eventos como este, que dão projeção internacional à cidade". O autarca referiu que, apesar desta ser ainda a sua 3ª edição, "esta é já uma das principais conferências onde se discutem as tendências atuais e futuras no campo da investigação relativa à construção de edifícios, um tema que está bem presente nas nossas vidas. Estes são, por isso, momentos importantes para discutir, compreender as principais preocupações do setor e entender o trabalho que deve ser feito a este nível, e que representa um desafio permanente, e à escala global, para entidades públicas e privadas. Como tal, temos de definir prioridades e garantir a segurança dos equipamentos e estruturas, o que é essencial em termos de prevenção" Durante os próximos três dias, serão abordados temas como a biomecânica, as tecnologias de reparação, a inspeção não destrutiva, a nano mecânica e os nano materiais, os efeitos ambientais, o design e avaliação estrutural e a durabilidade, entre outros. Miguel Silva Gouveia conclui que "faz todo o sentido que o nome da nossa cidade esteja associado a um evento com este alcance, ou não fosse o Funchal uma cidade global, cosmopolita e de futuro. Desejo, por isso, que estes sejam dias de progresso, em temas importantes e que dizem respeito a todos nós”.