Miguel Silva Gouveia diz que" é extemporâneo" filiar-se no PS

Instado pelo JM a comentar o repto lançado por Bernardino Trindade, que o desafiou a filiar-se no Partido Socialista durante o Congresso Regional do partido, Miguel Silva Gouveia começou por esclarecer que se sente bem na família socialista, “casa da social-democracia regional”.  “Não posso, obviamente, discernir do facto de neste momento representar uma coligação onde tem outros partidos envolvidos, por sinal que partilham também dos mesmos ideais progressistas, sociais-democratas e europeístas”, referiu, considerando, nesse sentido, que “seria extemporâneo” filiar-se em qualquer um dos partidos que a integra durante o mandato.  “Gostaria de, com essa coligação, renovar votos para um próximo ciclo autárquico”, afirmou o presidente da Câmara Municipal do Funchal, que considera que ao dar a cara pelo PS a questão da filiação acaba por ser apenas “um papel” que “neste momento não acrescenta nada”. Afirma ainda que não está à procura de nenhum cargo partidário, assumindo-se “completamente focado no Funchal”.    

Miguel Silva Gouveia diz que" é extemporâneo" filiar-se no PS
Instado pelo JM a comentar o repto lançado por Bernardino Trindade, que o desafiou a filiar-se no Partido Socialista durante o Congresso Regional do partido, Miguel Silva Gouveia começou por esclarecer que se sente bem na família socialista, “casa da social-democracia regional”.  “Não posso, obviamente, discernir do facto de neste momento representar uma coligação onde tem outros partidos envolvidos, por sinal que partilham também dos mesmos ideais progressistas, sociais-democratas e europeístas”, referiu, considerando, nesse sentido, que “seria extemporâneo” filiar-se em qualquer um dos partidos que a integra durante o mandato.  “Gostaria de, com essa coligação, renovar votos para um próximo ciclo autárquico”, afirmou o presidente da Câmara Municipal do Funchal, que considera que ao dar a cara pelo PS a questão da filiação acaba por ser apenas “um papel” que “neste momento não acrescenta nada”. Afirma ainda que não está à procura de nenhum cargo partidário, assumindo-se “completamente focado no Funchal”.