Mali: Missão da CEDEAO chega quinta-feira a Bamako para tentar resolver crise

A missão de alto nível enviada ao Mali pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para resolver a crise diplomática com a Costa do Marfim deverá chegar a Bamako quinta-feira, segundo um documento do Governo do Mali. A comissão é composta pelos presidentes togolês, Faure Gnassingbé, ganês, Nana Akufo-Addo, e da Gâmbia, Adama Barrow, não constando o Presidente senegalês, Macky Sall, como foi inicialmente anunciado, refere o documento dos Negócios Estrangeiros do Mali. A missão deverá chegar ao fim da manhã de quinta-feira e partir a meio da tarde. Os líderes dos Estados-membros da CEDEAO tinham decidido na passada quinta-feira, durante uma cimeira extraordinária em Nova Iorque, enviar uma missão para encontrar uma solução para a crise com a Costa do Marfim. A missão estava inicialmente agendada para terça-feira, mas o Mali disse que só a poderia receber na quinta ou sexta-feira. O Mali e a Costa do Marfim estão no meio de uma disputa diplomática sobre o destino de 46 soldados marfinenses detidos em 10 de julho, à sua chegada a Bamako. De acordo com Abidjan e a ONU, os soldados deveriam fornecer a segurança ao contingente alemão de soldados de manutenção da paz no Mali, mas Bamako disse que os considerava "mercenários" que pretendiam minar a segurança do Estado.

Mali: Missão da CEDEAO chega quinta-feira a Bamako para tentar resolver crise
A missão de alto nível enviada ao Mali pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para resolver a crise diplomática com a Costa do Marfim deverá chegar a Bamako quinta-feira, segundo um documento do Governo do Mali. A comissão é composta pelos presidentes togolês, Faure Gnassingbé, ganês, Nana Akufo-Addo, e da Gâmbia, Adama Barrow, não constando o Presidente senegalês, Macky Sall, como foi inicialmente anunciado, refere o documento dos Negócios Estrangeiros do Mali. A missão deverá chegar ao fim da manhã de quinta-feira e partir a meio da tarde. Os líderes dos Estados-membros da CEDEAO tinham decidido na passada quinta-feira, durante uma cimeira extraordinária em Nova Iorque, enviar uma missão para encontrar uma solução para a crise com a Costa do Marfim. A missão estava inicialmente agendada para terça-feira, mas o Mali disse que só a poderia receber na quinta ou sexta-feira. O Mali e a Costa do Marfim estão no meio de uma disputa diplomática sobre o destino de 46 soldados marfinenses detidos em 10 de julho, à sua chegada a Bamako. De acordo com Abidjan e a ONU, os soldados deveriam fornecer a segurança ao contingente alemão de soldados de manutenção da paz no Mali, mas Bamako disse que os considerava "mercenários" que pretendiam minar a segurança do Estado.