Mais uma mulher morta às mãos do marido, Marta deixa três filhas

Um homem matou, na tarde do passado domingo, a mulher com tiros de caçadeira, em Casais de Amendoeira, no concelho de Azambuja. Marta Figueiredo tinha cerca de 40 anos e teve morte imediata às mãos do marido, de 56 anos, que se suicidou de seguida. O casal deixa orfãs três filhas, a mais nova com três anos.   De acordo com fonte do Comando-Geral da GNR, citada pela agência Lusa, o crime terá ocorrido em contexto de violência doméstica. “Fruto de uma discussão de violência doméstica, o [alegado] marido fez disparos de caçadeira à companheira e colocou-se em fuga. Tivemos informações do seu destino e quando o encontramos estava morto, eventualmente suicidou-se com outra arma”, indicou a fonte. O alerta foi recebido pelas 18:30, mas ainda não foi apurado se a mulher era esposa ou companheira do assassino, nem as idades de ambos. No local estiveram os bombeiros, a GNR e o INEM, segundo confirmou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa. De acordo com o Correio da Manhã, o casal tinha três filhas, de 3, 15 e 19 anos, e estariam a separar-se.

Mais uma mulher morta às mãos do marido, Marta deixa três filhas
Um homem matou, na tarde do passado domingo, a mulher com tiros de caçadeira, em Casais de Amendoeira, no concelho de Azambuja. Marta Figueiredo tinha cerca de 40 anos e teve morte imediata às mãos do marido, de 56 anos, que se suicidou de seguida. O casal deixa orfãs três filhas, a mais nova com três anos.   De acordo com fonte do Comando-Geral da GNR, citada pela agência Lusa, o crime terá ocorrido em contexto de violência doméstica. “Fruto de uma discussão de violência doméstica, o [alegado] marido fez disparos de caçadeira à companheira e colocou-se em fuga. Tivemos informações do seu destino e quando o encontramos estava morto, eventualmente suicidou-se com outra arma”, indicou a fonte. O alerta foi recebido pelas 18:30, mas ainda não foi apurado se a mulher era esposa ou companheira do assassino, nem as idades de ambos. No local estiveram os bombeiros, a GNR e o INEM, segundo confirmou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa. De acordo com o Correio da Manhã, o casal tinha três filhas, de 3, 15 e 19 anos, e estariam a separar-se.