Mais de 117 milhões de crianças em risco de perder vacina do sarampo

Mais de 117 milhões de crianças podem deixar ser vacinadas contra o sarampo porque as campanhas estão a ser adiadas devido à pandemia da covid-19, pondo em causa a imunização global, alertaram hoje várias organizações internacionais. “À medida que a covid-19 continua a espalhar-se pelo mundo, mais de 117 milhões de crianças de 37 países podem deixar de receber a vacina contra o sarampo, que salva muitas vidas”, afirmaram, numa declaração conjunta, a Organização Mundial da Saúde, a Unicef, a Fundação das Nações Unidas, a Cruz Vermelha Americana e CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA. A declaração, designada como “Iniciativa Sarampo e Rubéola” refere que as campanhas de imunização contra o sarampo já foram adiadas em 24 países e mais de 10 outros estão prestes a fazer o mesmo. “Durante este período desafiador, a Iniciativa contra o Sarampo e Rubéola expressa solidariedade com famílias, comunidades, governos e equipas de emergência” no objetivo coletivo de luta contra a ameaça da covid-19, defende. “Mas também devemos defender os esforços para proteger serviços essenciais de imunização, agora e no futuro”, acrescenta. Na declaração, hoje divulgada, as organizações instam “os países a continuar os serviços de rotina de imunização” para garantir “a segurança das comunidades e dos profissionais de saúde”.

Mais de 117 milhões de crianças em risco de perder vacina do sarampo
Mais de 117 milhões de crianças podem deixar ser vacinadas contra o sarampo porque as campanhas estão a ser adiadas devido à pandemia da covid-19, pondo em causa a imunização global, alertaram hoje várias organizações internacionais. “À medida que a covid-19 continua a espalhar-se pelo mundo, mais de 117 milhões de crianças de 37 países podem deixar de receber a vacina contra o sarampo, que salva muitas vidas”, afirmaram, numa declaração conjunta, a Organização Mundial da Saúde, a Unicef, a Fundação das Nações Unidas, a Cruz Vermelha Americana e CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA. A declaração, designada como “Iniciativa Sarampo e Rubéola” refere que as campanhas de imunização contra o sarampo já foram adiadas em 24 países e mais de 10 outros estão prestes a fazer o mesmo. “Durante este período desafiador, a Iniciativa contra o Sarampo e Rubéola expressa solidariedade com famílias, comunidades, governos e equipas de emergência” no objetivo coletivo de luta contra a ameaça da covid-19, defende. “Mas também devemos defender os esforços para proteger serviços essenciais de imunização, agora e no futuro”, acrescenta. Na declaração, hoje divulgada, as organizações instam “os países a continuar os serviços de rotina de imunização” para garantir “a segurança das comunidades e dos profissionais de saúde”.