Madeira mantém máscara obrigatória nos espaços fechados

Conselho de Governo prolonga medidas de contenção da pandemia até 14 de maio. O Conselho de Governo, reunido hoje na Quinta Vigia, aprovou uma resolução que “mantém as normas de medidas de promoção e salvaguarda da saúde pública da população que contribuam para a contenção da pandemia, bem como a continuidade da situação de alerta até às 23.59 horas do dia 14 de maio de 2022”. A mesma resolução deixa claro o objetivo é assegurar a contenção da pandemia. O texto das conclusões nota que a resolução aprovada lembra que “o uso de máscara contribui decisivamente para a redução do risco de contágio e progressão da doença COVID-19”. Feito esse enquadramento, o Executivo sublinha que “é determinado à população residente e aos cidadãos que nos visitam a obrigatoriedade do uso de máscara nos espaços fechados, com as exceções já do conhecimento público”. “A manutenção da vacinação e das normas de higiene e de desinfeção são outras normas que continuam”, observa ainda o comunicado da Quinta Vigia.

Madeira mantém máscara obrigatória nos espaços fechados
Conselho de Governo prolonga medidas de contenção da pandemia até 14 de maio. O Conselho de Governo, reunido hoje na Quinta Vigia, aprovou uma resolução que “mantém as normas de medidas de promoção e salvaguarda da saúde pública da população que contribuam para a contenção da pandemia, bem como a continuidade da situação de alerta até às 23.59 horas do dia 14 de maio de 2022”. A mesma resolução deixa claro o objetivo é assegurar a contenção da pandemia. O texto das conclusões nota que a resolução aprovada lembra que “o uso de máscara contribui decisivamente para a redução do risco de contágio e progressão da doença COVID-19”. Feito esse enquadramento, o Executivo sublinha que “é determinado à população residente e aos cidadãos que nos visitam a obrigatoriedade do uso de máscara nos espaços fechados, com as exceções já do conhecimento público”. “A manutenção da vacinação e das normas de higiene e de desinfeção são outras normas que continuam”, observa ainda o comunicado da Quinta Vigia.