Luís Freire diz que o Nacional irá “tentar contrariar” jogo do Benfica

O técnico do Nacional, Luís Freire, assumiu hoje, na antevisão da partida relativa à 15.ª jornada da I Liga, que o "Benfica vai tentar impor o seu jogo", cabendo ao Nacional "tentar contrariar e criar dificuldades". Apesar dos recentes resultados negativos, com quatro derrotas consecutivas (três no campeonato e uma na Taça de Portugal), Luís Freire encara esta deslocação ao Estádio da Luz, para defrontar o Benfica, com otimismo. "Tivemos dois dias para preparar este jogo, também com cuidados físicos, e ainda vamos ter a viagem, mas encaramos com confiança, principalmente pelo que temos feito e pelo processo apresentado, pois, principalmente nos últimos dois jogos (Moreirense e Guimarães), conseguimos criar muitas situações de golo que poderiam ter levado a outros resultados. Acabámos por pagar caro os erros cometidos", começou por afirmar. Para Luís Freire, um dos objetivos para este jogo com o Benfica, passa por a equipa se manter fiel ao processo e ao jogo coletivo, alertando que "muita da responsabilidade está do lado do adversário" e que a sua equipa pode ter “muito a ganhar”. Apesar de tudo, está consciente do valor do seu oponente. "Vamos jogar contra um grande adversário e temos de nos motivar a nós próprios para conseguir fazer coisas boas no Estádio da Luz. Queremos ao máximo discutir o jogo", disse. Analisando o adversário, Luís Freire afirma que "o Benfica é uma equipa de ataque continuado", que no meio-campo ofensivo "tem uma dinâmica forte, com dois avançados" e "é sempre difícil de parar". Mas o reconhecimento desse valor, não retira ambição.:"Sabemos como a equipa adversária joga e preparamos o jogo na tentativa de bloquear ao máximo esse jogo ofensivo, muito associativo, tentando também chegar à baliza do Benfica". Luís Freire desvaloriza as ausências no Benfica para esta partida, com muitos casos do novo coronavírus no adversário. "Quando falamos de um clube grande o estar mais fraco é muito relativo, pois tem um plantel riquíssimo, com setenta profissionais e todos os jogadores querem jogar e mostrar valor e vamos, com toda a certeza, encarar uma equipa forte e ambiciosa", defendeu. O Nacional pretende para este jogo "estar focado nas suas tarefas, tentando criar dificuldades ao Benfica em todos os momentos". Luís Freire considera que o mau momento, em termos de resultados, pelo que passa o Nacional irá passar. "Ganhando é sempre tudo mais fácil, mas há a certeza que jogando da forma como jogámos ao nível ofensivo, principalmente nos últimos dois jogos, a criar as oportunidades que criamos, com um jogo com critério, que quando ganharmos não será só uma vitória”, explicou Luís Freire disse ainda que "todas as equipas passam por momentos menos bons", sendo agora o caso do Nacional, mas "apenas em termos de resultados", lembrando ainda que o Nacional "esteve muito perto de eliminar o FC Porto" da Taça de Portugal. A questão de ausência de público foi também abordada, embora o técnico tenha desvalorizado a questão. "Estamos habituados há algum tempo a jogar sem público, mas é normal que o público galvanize sempre mais e jogar com sessenta ou setenta mil espetadores atemoriza o adversário. Com o tempo, essa ausência tem-se diluído e o Benfica tem sido forte em casa e não se tem notado essa falta de público. Penso que esse fator não irá equilibrar o jogo", concluiu. O Nacional, 14.º com 13 pontos, desloca-se segunda-feira ao Estádio da Luz, onde a partir das 17:00, defrontará o Benfica, terceiro com 32, em partida da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrada por Rui Costa, da associação do Porto.

Luís Freire diz que o Nacional irá “tentar contrariar” jogo do Benfica
O técnico do Nacional, Luís Freire, assumiu hoje, na antevisão da partida relativa à 15.ª jornada da I Liga, que o "Benfica vai tentar impor o seu jogo", cabendo ao Nacional "tentar contrariar e criar dificuldades". Apesar dos recentes resultados negativos, com quatro derrotas consecutivas (três no campeonato e uma na Taça de Portugal), Luís Freire encara esta deslocação ao Estádio da Luz, para defrontar o Benfica, com otimismo. "Tivemos dois dias para preparar este jogo, também com cuidados físicos, e ainda vamos ter a viagem, mas encaramos com confiança, principalmente pelo que temos feito e pelo processo apresentado, pois, principalmente nos últimos dois jogos (Moreirense e Guimarães), conseguimos criar muitas situações de golo que poderiam ter levado a outros resultados. Acabámos por pagar caro os erros cometidos", começou por afirmar. Para Luís Freire, um dos objetivos para este jogo com o Benfica, passa por a equipa se manter fiel ao processo e ao jogo coletivo, alertando que "muita da responsabilidade está do lado do adversário" e que a sua equipa pode ter “muito a ganhar”. Apesar de tudo, está consciente do valor do seu oponente. "Vamos jogar contra um grande adversário e temos de nos motivar a nós próprios para conseguir fazer coisas boas no Estádio da Luz. Queremos ao máximo discutir o jogo", disse. Analisando o adversário, Luís Freire afirma que "o Benfica é uma equipa de ataque continuado", que no meio-campo ofensivo "tem uma dinâmica forte, com dois avançados" e "é sempre difícil de parar". Mas o reconhecimento desse valor, não retira ambição.:"Sabemos como a equipa adversária joga e preparamos o jogo na tentativa de bloquear ao máximo esse jogo ofensivo, muito associativo, tentando também chegar à baliza do Benfica". Luís Freire desvaloriza as ausências no Benfica para esta partida, com muitos casos do novo coronavírus no adversário. "Quando falamos de um clube grande o estar mais fraco é muito relativo, pois tem um plantel riquíssimo, com setenta profissionais e todos os jogadores querem jogar e mostrar valor e vamos, com toda a certeza, encarar uma equipa forte e ambiciosa", defendeu. O Nacional pretende para este jogo "estar focado nas suas tarefas, tentando criar dificuldades ao Benfica em todos os momentos". Luís Freire considera que o mau momento, em termos de resultados, pelo que passa o Nacional irá passar. "Ganhando é sempre tudo mais fácil, mas há a certeza que jogando da forma como jogámos ao nível ofensivo, principalmente nos últimos dois jogos, a criar as oportunidades que criamos, com um jogo com critério, que quando ganharmos não será só uma vitória”, explicou Luís Freire disse ainda que "todas as equipas passam por momentos menos bons", sendo agora o caso do Nacional, mas "apenas em termos de resultados", lembrando ainda que o Nacional "esteve muito perto de eliminar o FC Porto" da Taça de Portugal. A questão de ausência de público foi também abordada, embora o técnico tenha desvalorizado a questão. "Estamos habituados há algum tempo a jogar sem público, mas é normal que o público galvanize sempre mais e jogar com sessenta ou setenta mil espetadores atemoriza o adversário. Com o tempo, essa ausência tem-se diluído e o Benfica tem sido forte em casa e não se tem notado essa falta de público. Penso que esse fator não irá equilibrar o jogo", concluiu. O Nacional, 14.º com 13 pontos, desloca-se segunda-feira ao Estádio da Luz, onde a partir das 17:00, defrontará o Benfica, terceiro com 32, em partida da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrada por Rui Costa, da associação do Porto.