JSD/Madeira congratula-se com a aprovação do Programa de Apoio ao Arrendamento e à Aquisição de Habitação

A JSD/Madeira congratulou hoje-se pela criação e respetiva inclusão, no Orçamento de 2020, do Programa de Apoio ao Arrendamento e à Aquisição de Habitação. Uma medida que o Governo Regional se prepara para implementar, correspondendo a uma...

JSD/Madeira congratula-se com a aprovação do Programa de Apoio ao Arrendamento e à Aquisição de Habitação
A JSD/Madeira congratulou hoje-se pela criação e respetiva inclusão, no Orçamento de 2020, do Programa de Apoio ao Arrendamento e à Aquisição de Habitação. Uma medida que o Governo Regional se prepara para implementar, correspondendo a uma aspiração desta estrutura, plasmada, inclusive, na Moção Liderar a Esperança, apresentada ao XII Congresso da JSD/ Madeira e tendo como primeiro subscritor o atual líder Bruno Melim.  “Esta foi uma das nossas grandes bandeiras e foi precisamente nessa lógica que apresentámos, ao Executivo Regional, uma proposta de Programa Regional de Habitação Jovem, dividida em duas grandes áreas: uma relativa à construção de habitação própria e permanente, bem como um apoio à aquisição da primeira habitação por parte dos jovens casais até aos 35 anos (majorado caso a referida fixação se verificasse fora da malha urbana) e, outra, de forma a contemplar um apoio ao arrendamento em mercado livre para jovens casais até aos 35 anos que auferissem rendimentos constantes dos dois primeiros escalões do IRS”, explicou Bruno Melim em nota enviada à imprensa. A proposta agora levada a cabo pela Secretaria Regional da Inclusão e Cidadania “vem, precisamente, ao encontro das nossas preocupações e ao encontro daquelas que são as principais dificuldades sentidas pelos mais jovens, com base num Programa que extravasa o típico apoio social, tratando-se, acima de tudo, de uma resposta social que se traduz num  pontapé de saída para aqueles que estão a começar as suas vidas”, enalteceu o Líder da JSD/Madeira, sublinhando que se trata, igualmente, “de um complemento importante que vem permitir, de forma transversal e a todas as famílias, receberem um apoio de 2/3 do valor da renda até um limite máximo de 200 euros, sendo que os mais jovens, os deficientes e aqueles que querem viver fora dos grandes centros urbanos têm uma majoração de 25 euros”. Atendendo a todos estes fatores, Bruno Melim considerou “que esta é uma decisão política que se revela estruturante na definição das políticas de atração e fixação dos jovens, bem como, de combate à desertificação” e reconhece que se trata mesmo de uma medida “com enorme validade e importância dentro do ORAM 2020”, uma vez que possibilita uma habitação “condigna para todos aqueles que se preparam para iniciar as suas vidas na Região”. “Está mais que visto que o PSD/M é a única força política que tem vindo a garantir, no exercício da governação, melhores condições aos mais jovens, na base de uma estratégia que corresponde, efetivamente, aos seus anseios, com medidas efetivas e que traduzem um ganho substancial na sua qualidade de vida”, concluiu.