Jornadas Madeira: José Manuel Rodrigues defende programa para a Coesão Territorial Social da Região

A Região precisa de políticas públicas “mais arrojadas e ambiciosas” para combater a desertificação do norte da ilha e “corrigir as desigualdades de rendimento das famílias em relação à média regional”. É esta a posição do presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, deixada no seu discurso das Jornadas Madeira, que decorrem hoje no Porto Moniz. Nesse sentido, José Manuel Rodrigues defende que “é absolutamente vital elaborar e concretizar um Programa para a Coesão Territorial Social da Região.” O presidente da ALRAM acredita que uma parte dos fundos financeiros europeus quer do Plano de Recuperação Económica quer do novo Quadro Comunitário de Apoio entre 2021 e 2027 “são uma oportunidade para pôr em marcha” esse mesmo programa, que “deve afirmar o Norte pela positiva, unindo nesse projeto o Estado, o Governo Regional, as Câmaras, as Associações de Desenvolvimento Local, as Associações Empresariais e Sindicais, as Instituições de Solidariedade Social, as Escolas, as Paróquias numa missão de valorização dos seus recursos associados ao Ambiente, à Agricultura e ao Turismo.”

Jornadas Madeira: José Manuel Rodrigues defende programa para a Coesão Territorial Social da Região
A Região precisa de políticas públicas “mais arrojadas e ambiciosas” para combater a desertificação do norte da ilha e “corrigir as desigualdades de rendimento das famílias em relação à média regional”. É esta a posição do presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, deixada no seu discurso das Jornadas Madeira, que decorrem hoje no Porto Moniz. Nesse sentido, José Manuel Rodrigues defende que “é absolutamente vital elaborar e concretizar um Programa para a Coesão Territorial Social da Região.” O presidente da ALRAM acredita que uma parte dos fundos financeiros europeus quer do Plano de Recuperação Económica quer do novo Quadro Comunitário de Apoio entre 2021 e 2027 “são uma oportunidade para pôr em marcha” esse mesmo programa, que “deve afirmar o Norte pela positiva, unindo nesse projeto o Estado, o Governo Regional, as Câmaras, as Associações de Desenvolvimento Local, as Associações Empresariais e Sindicais, as Instituições de Solidariedade Social, as Escolas, as Paróquias numa missão de valorização dos seus recursos associados ao Ambiente, à Agricultura e ao Turismo.”