Insólito: mãe ordenou namorada que matasse o filho de seis meses

Uma mulher norte-americana está a ser acusada de ter persuadido a namorada a matar o seu filho de seis meses. O caso remonta ao dia 17 de julho do ano passado. Hanna Nicole Barker, de 23 anos, informou inicialmente à polícia que dois homens...

Insólito: mãe ordenou namorada que matasse o filho de seis meses
Uma mulher norte-americana está a ser acusada de ter persuadido a namorada a matar o seu filho de seis meses. O caso remonta ao dia 17 de julho do ano passado. Hanna Nicole Barker, de 23 anos, informou inicialmente à polícia que dois homens tinham “invadido” a habitação, tendo decidido fugir e, em estado de pânico, deixado o bebé no interior da residência, relata o jornal SOL. Acrescentou que o bebé teria sido raptado, levando as autoridades a iniciarem as operações de busca.  E nesse mesmo dia, às 22h20, as autoridades encontraram o bebé, perto de uma estação de comboios, com queimaduras em 90% do corpo. O menino deu entrada com vida no hospital, mas, devido à gravidade dos ferimentos, acabou por não resistir, perdendo a vida no seguinte dia. No âmbito da investigação, as autoridades constataram que o assalto havia sido encenado e que o pequeno Levi tinha sido morto pela namorada da mãe, Felicia Marie-Nicole Smith, de 25 anos. Ambas são acusadas de homicídio. A mãe tentou inicialmente acusar o ex-companheiro, tendo sido este a colocar as autoridades a par da existente relação entre Barker e Smith, acrescentando que sua ex-mulher estava a usar a namorada para ter “dinheiro e atenção”. Aparentemente, Barker terá dito a Smith que, se esta a amasse, faria tudo por ela até mesmo ir para a cadeia". Num primeiro momento, Smith terá recusado cometer o crime, mas, mais tarde, terá aceitado e tentado balear o bebé. Como a arma terá ficado encravada, Smith ordenou: “queima-o até ficar sem ossos”. Barker foi descrita pelos que a conheciam como uma mentirosa compulsiva. O julgamento de ambas está marcado para o início do próximo ano. Se forem declaradas culpadas, arriscam-se a pena de morte.