Insólito: Homem leva cinzas de mulher ao médico onde foi atendida antes de morrer

Um homem espanhol levou as cinzas da mulher ao posto médico onde a mesma tinha sido atendida antes de morrer, nas Astúrias. Segundo refere o Correio da Manhã, o viúvo teve esta atitude porque pretendia protestar contra a falta de atenção dada...

Insólito: Homem leva cinzas de mulher ao médico onde foi atendida antes de morrer
Um homem espanhol levou as cinzas da mulher ao posto médico onde a mesma tinha sido atendida antes de morrer, nas Astúrias. Segundo refere o Correio da Manhã, o viúvo teve esta atitude porque pretendia protestar contra a falta de atenção dada à mulher. O momento insólito aconteceu no passado sábado, cerca das 10h00 (09h00 em Portugal Continental). Germán Castellanos dirigiu-se até ao centro de saúde e levou uma bandeja com as cinzas da mulher. De acordo com a mesma publicação, que cita o jornal El Comercio, María Blanco morreu no passado dia 05 de agosto. Tinha 65 anos. O mesmo jornal avança que Castellanos levou também cinco euros, que lhe serviram para pagar a consulta que durou apenas três minutos, flores e um voucher para usar num hotel que o casal gostava muito. O homem explicou que tudo o que levava era "para oferecer ao médico" toda a atenção que tinha dado a María durante uma consulta.  Castellanos considera que o médico agiu de "forma negligente" e queria protestar pela maneira como a mulher tinha sido tratada. Agora, o viúvo pretende avançar com o caso para tribunal. O jornal conta ainda que a mulher foi a uma consulta na segunda-feira, dia em que morreu. Queixava-se de fortes dores de cabeça. Foram diretamente às urgências "para não ter que passar por todo o processo protocolar dos hospitais", mas o médico não gostou da atitude do casal e disse-lhes que tinham que esperar pela vez deles e mandou-os embora para casa sem sequer atender María. A mulher foi para casa e acabou por morrer. O resultado da autópsia ainda não foi revelado, sendo que só nessa altura é que vai ser conhecida a causa da morte de María.