Homem detido pela prática de crimes de homicídio qualificado e violência doméstica

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, e com a prestimosa colaboração da GNR de Vila Nova de Famalicão, procedeu na passada segunda-feira à detenção, fora de flagrante delito, de um homem de 44 anos de idade, suspeito da prática de crimes de homicídio qualificado consumado e violência doméstica. A vítima mortal, uma mulher com 35 anos de idade, era esposa do arguido, com 44 anos. De acordo com a informação disponibilizada pelo Depertamento de Investigação Criminal de Braga, os crimes ocorreram durante o início da manhã desse dia, e tiveram início após uma altercação entre ambos no interior da sua habitação, sita numa freguesia do concelho de Vila Nova de Famalicão. O homicídio foi consumado pelo autor através de asfixia da vítima, e ocorreu numa habitação sita noutra freguesia do mesmo concelho, para onde o arguido, numa viatura automóvel, transportou a vítima, após a ter inanimado.   O detido foi presente às autoridades judiciárias competentes no Tribunal de Guimarães, para primeiro interrogatório judicial, sendo-lhe aplicada a medida de coação de prisão preventiva.  

Homem detido pela prática de crimes de homicídio qualificado e violência doméstica
A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, e com a prestimosa colaboração da GNR de Vila Nova de Famalicão, procedeu na passada segunda-feira à detenção, fora de flagrante delito, de um homem de 44 anos de idade, suspeito da prática de crimes de homicídio qualificado consumado e violência doméstica. A vítima mortal, uma mulher com 35 anos de idade, era esposa do arguido, com 44 anos. De acordo com a informação disponibilizada pelo Depertamento de Investigação Criminal de Braga, os crimes ocorreram durante o início da manhã desse dia, e tiveram início após uma altercação entre ambos no interior da sua habitação, sita numa freguesia do concelho de Vila Nova de Famalicão. O homicídio foi consumado pelo autor através de asfixia da vítima, e ocorreu numa habitação sita noutra freguesia do mesmo concelho, para onde o arguido, numa viatura automóvel, transportou a vítima, após a ter inanimado.   O detido foi presente às autoridades judiciárias competentes no Tribunal de Guimarães, para primeiro interrogatório judicial, sendo-lhe aplicada a medida de coação de prisão preventiva.