GR exige incentivo extraordinário às empresas da Região após ‘layoff’

A secretária regional Augusta Aguiar defende que as Regiões Autónomas da Madeira e Açores sejam incluídas, a título excecional como a situação atual impõe, na regulamentação nacional para permitir que as empresas regionais possam aceder aos apoios excecionais previstos para o pós-layoff. A governante anuncia que o Governo Regional já está a desenvolver todos os esforços para que, à semelhança das empresas do território continental, as empresas da Madeira tenham também acesso a esses apoios, considerando que a medida “tem de abranger, de igual forma, todas as empresas nacionais, independentemente da sua localização geográfica.” Augusta Aguiar garante que o governo madeirense está preparado para avançar, mas adverte que “aqui é necessária a solidariedade do Governo da República para com as Regiões Autónomas.” No caso da Madeira, o impacto financeiro poderá ultrapassar os 28 milhões de euros. Na Região Autónoma da Madeira existem, até à presente data, 3.161 empresas em regime de layoff simplificado, sendo que 53 destas estão localizadas no Porto Santo. Em relação ao número de trabalhadores, são 43.595 os abrangidos por esta medida, sendo que 564 do universo total dos trabalhadores trabalham no Porto Santo. Em termos de pagamentos, a Região regista um montante global de 7,9 milhões de euros, abrangendo cerca de 72% das empresas em layoff (2262 empresas).

GR exige incentivo extraordinário às empresas da Região após ‘layoff’
A secretária regional Augusta Aguiar defende que as Regiões Autónomas da Madeira e Açores sejam incluídas, a título excecional como a situação atual impõe, na regulamentação nacional para permitir que as empresas regionais possam aceder aos apoios excecionais previstos para o pós-layoff. A governante anuncia que o Governo Regional já está a desenvolver todos os esforços para que, à semelhança das empresas do território continental, as empresas da Madeira tenham também acesso a esses apoios, considerando que a medida “tem de abranger, de igual forma, todas as empresas nacionais, independentemente da sua localização geográfica.” Augusta Aguiar garante que o governo madeirense está preparado para avançar, mas adverte que “aqui é necessária a solidariedade do Governo da República para com as Regiões Autónomas.” No caso da Madeira, o impacto financeiro poderá ultrapassar os 28 milhões de euros. Na Região Autónoma da Madeira existem, até à presente data, 3.161 empresas em regime de layoff simplificado, sendo que 53 destas estão localizadas no Porto Santo. Em relação ao número de trabalhadores, são 43.595 os abrangidos por esta medida, sendo que 564 do universo total dos trabalhadores trabalham no Porto Santo. Em termos de pagamentos, a Região regista um montante global de 7,9 milhões de euros, abrangendo cerca de 72% das empresas em layoff (2262 empresas).