Empresários devem apostar na formação

O presidente do Governo Regional visitou ontem, uma produção fruteira na freguesia do Faial, em Santana, apoiada pelo PRODERAM 2020. José Nunes, o empresário responsável pela exploração, que abrange uma área superior a 12 mil metros quadrados, realizou um investimento, comparticipado pelo Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira, com vista ao melhoramento das infraestruturas e instalação de culturas permanentes, nomeadamente de maracujá, anona, tangerina, mango e pitanga. Para Miguel Albuquerque, este é mais um exemplo do que o Governo Regional pretende para a agricultura madeirense, no sentido de uma aposta na modernização do setor e na formação dos empresários. “Esta exploração fruteira está organizada de uma forma exemplar, é moderna, com todos os apetrechos técnicos para ter sucesso”. O governante considerou ainda que a produção de José Nunes está “imaculada no ponto de vista do tratamento das diversas espécies”, com uma aposta nas podas, através dos cursos que estão a ser ministrados na Escola Agrícola, em São Vicente. Deixou, aliá, um conselho aos empresários agrícolas de frequentarem esses cursos, “porque um bom tratamento da fruteira e uma poda adequada significam o aumento da produção e o aumento da rentabilidade”. Dessa forma, concluiu que a produção situada no Caminho do Caniço, no Faial, é um bom exemplo “de agricultura que nós precisamos na Madeira, tecnicamente avançada e com formação por parte dos empresários”. Para além disso, Albuquerque lembrou que a produção em causa está associada a um futuro projeto de turismo local, que o Governo Regional vai apoiar através de fundos comunitários. O empresário Carvalho Nunes tem em vista a recuperação de uma casa com o intuito de apostar nesse segmento turístico.

Empresários devem apostar na formação
O presidente do Governo Regional visitou ontem, uma produção fruteira na freguesia do Faial, em Santana, apoiada pelo PRODERAM 2020. José Nunes, o empresário responsável pela exploração, que abrange uma área superior a 12 mil metros quadrados, realizou um investimento, comparticipado pelo Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira, com vista ao melhoramento das infraestruturas e instalação de culturas permanentes, nomeadamente de maracujá, anona, tangerina, mango e pitanga. Para Miguel Albuquerque, este é mais um exemplo do que o Governo Regional pretende para a agricultura madeirense, no sentido de uma aposta na modernização do setor e na formação dos empresários. “Esta exploração fruteira está organizada de uma forma exemplar, é moderna, com todos os apetrechos técnicos para ter sucesso”. O governante considerou ainda que a produção de José Nunes está “imaculada no ponto de vista do tratamento das diversas espécies”, com uma aposta nas podas, através dos cursos que estão a ser ministrados na Escola Agrícola, em São Vicente. Deixou, aliá, um conselho aos empresários agrícolas de frequentarem esses cursos, “porque um bom tratamento da fruteira e uma poda adequada significam o aumento da produção e o aumento da rentabilidade”. Dessa forma, concluiu que a produção situada no Caminho do Caniço, no Faial, é um bom exemplo “de agricultura que nós precisamos na Madeira, tecnicamente avançada e com formação por parte dos empresários”. Para além disso, Albuquerque lembrou que a produção em causa está associada a um futuro projeto de turismo local, que o Governo Regional vai apoiar através de fundos comunitários. O empresário Carvalho Nunes tem em vista a recuperação de uma casa com o intuito de apostar nesse segmento turístico.