Educação para a cidadania é ponto de partida para um mundo virtual seguro

“Dificilmente conseguimos contornar a dimensão que a tecnologia e o digital hoje ocupam no nosso quotidiano e nas nossas escolas”, daí ser necessário que a comunidade educativa esteja capacitada para os desempenhos necessários a ter a este...

Educação para a cidadania é ponto de partida para um mundo virtual seguro
“Dificilmente conseguimos contornar a dimensão que a tecnologia e o digital hoje ocupam no nosso quotidiano e nas nossas escolas”, daí ser necessário que a comunidade educativa esteja capacitada para os desempenhos necessários a ter a este nível. Posição de Jorge Carvalho, secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia, transmitida ao auditório da Escola Básica dos 2.º e 3.º ciclos Dr. Eduardo Brazão de Castro, no âmbito do III Encontro Regional SeguraNet, que decorreu ao longo da manhã desta terça-feira. Na ocasião, o secretário lembrou que “é na escola que, num conjunto de projetos e processos de capacitação dos nossos alunos, conseguimos criar esta responsabilidade junto dos mesmos para que a sua ação enquanto cidadãos possa ser também uma intervenção responsável” no mundo digital. Nesse âmbito, o governante diz não haver dúvidas de que “se prepararmos adequadamente as nossas crianças e os nossos jovens teremos também uma intervenção muito capaz ao nível do digital e das tecnologias.” Tecnologias essas que por vezes são apresentadas como ambiente de grande risco, mas “quem transfere para esses ambientes esse mesmo risco é quem provavelmente também no mundo real seria capaz desses mesmos comportamentos”. “Se nós tivermos crianças e cidadãos devidamente capacitados para bons desempenhos do ponto de vista da cidadania, com valores e princípios que, no mundo real, são competentes e aquilo que se espera de um cidadão, também isso será transferido para o mundo virtual e digital”, acrescentou, na sessão de abertura. Jorge Carvalho reitera que não se trata de ter um ambiente bom ou mau, sendo sim quem os utiliza que dá essa dimensão a estas ferramentas, daí a importância destes encontros dirigidos a dirigido a diretores e presidentes de estabelecimentos de educação/ensino, professores responsáveis pelos projetos SeguraNet e pelas páginas web das escolas, coordenadores TIC, coordenadores do projeto Manuais Digitais, assim como a todos os docentes interessados, para capacitar não só para as potencialidades do digital mas sobretudo para “a perceção e conhecimento dos riscos” e “das ferramentas que, devidamente utilizadas, podem criar condições para que esses ambientes se tornem mais seguros”. A iniciativa, inserida nas celebrações do Dia da Internet Mais Segura 2020, foi promovida pela Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia (SRE), em colaboração com o Consórcio Centro Internet Segura, do qual fazem parte a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., a Direção-Geral da Educação, o Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P., a Fundação Altice, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e a Microsoft Portugal. O evento contou com uma conferência com o tema ‘Knox Manager e o papel da Samsing na Educação, a cargo de Frederico Tomé, technical account manager da Samsung Portugal, uma mesa redonda em que foram abordados aspetos relacionados com segurança e cidadania digital, e, por fim, uma entrega de prémios das iniciativas do Centro de Sensibilização SeguraNet/DGE.