Duas escolas encerradas na Madeira e adesão à greve na ordem dos 50%, refere sindicato

Duas escolas encerradas, uma adesão acima dos 50% em diferentes estabelecimentos de ensino é o primeiro balanço efetuado pelo Sindicato dos Professores da Madeira (SPM) à greve de hoje, disse fonte sindical. De acordo com os dados recolhidos...

Duas escolas encerradas na Madeira e adesão à greve na ordem dos 50%, refere sindicato
Duas escolas encerradas, uma adesão acima dos 50% em diferentes estabelecimentos de ensino é o primeiro balanço efetuado pelo Sindicato dos Professores da Madeira (SPM) à greve de hoje, disse fonte sindical. De acordo com os dados recolhidos até às 11:00, estão encerradas as escolas de 1.º ciclo com pré-escolar, da Ajuda (Funchal) e no Lombo, na freguesia dos Canhas, concelho da Ponta do Sol, salientou Luísa Paixão. A sindicalista adiantou que nas escolas do 1.º ciclo com pré-escolar de São Martinho e da Pena, no município do Funchal, a adesão é de 50%. Também mencionou que o mesmo índice se regista em idênticos estabelecimentos de ensino no concelho do Porto Moniz, no norte da ilha, e na do Campanário, no município de Câmara de Lobos, e ainda na de S.Vicente, na costa norte. “A situação nas escolas secundárias é ainda difícil de verificar”, sublinhou a mesma dirigente sindical. Luísa Paixão apontou que “a maioria das escolas estão a funcionar, embora em todas se registem elementos que estão a fazer greve”. A Lusa contactou a Secretaria Regional da Educação da Madeira, tendo fonte do gabinete do secretário declarado que “até às 11:00 não há registo de constrangimentos nas escolas da região devido à greve”. A Frente Comum da Administração Pública, da CGTP, convocou para hoje uma greve nacional contra a proposta de aumentos salariais de 0,3%. Seguiu-se o anúncio de greves nacionais por parte das estruturas da UGT - a Federação Nacional dos Sindicatos da Administração Pública (Fesap) e a Frente Sindical liderada pelo Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE). Entretanto, várias organizações setoriais marcaram também greves para hoje, como são os casos da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), afeta à CGTP, da Federação Nacional dos Sindicatos dos Enfermeiros (FENSE), da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) e do Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas do Diagnóstico e Terapêutica.