Doente transportado de urgência do Funchal para Lisboa

Um doente foi transportado de urgência do Funchal para Lisboa, na noite de sexta-feira, a bordo do Falcon 50, da Esquadra 504 'Linces'. De acordo com comunicado da Força Aérea, a aeronave descolou do Aeródromo de Trânsito n.º 1, em Figo Maduro, pelas 22h00 de ontem e aterrando no mesmo local à 1h25 da madrugada deste sábado. A bordo seguiu igualmente uma equipa médica do Núcleo de Evacuações Aeromédicas (NEA). A mesma fonte dá-nos conta de que a Esquadra 504 - 'Linces', foi também ontem ativada para efetuar o transporte urgente de uma criança de três anos dos Açores para o continente. Durante o voo para Lisboa, a equipa médica militar do NEA, que seguia a bordo, realizou uma ecografia para aferir o estado de saúde da criança e os efeitos fisiológicos do voo. "Além da capacidade de suportar vítimas graves em várias valências, a grande mais valia da presença durante o transporte aeromédico de uma equipa de saúde diferenciada dotada com equipamento capaz é a possibilidade de não apenas manter mas aumentar e melhorar os cuidados prestados durante o voo até ao hospital de destino", sublinha a Força Aérea no referido comunicado.

Doente transportado de urgência do Funchal para Lisboa
Um doente foi transportado de urgência do Funchal para Lisboa, na noite de sexta-feira, a bordo do Falcon 50, da Esquadra 504 'Linces'. De acordo com comunicado da Força Aérea, a aeronave descolou do Aeródromo de Trânsito n.º 1, em Figo Maduro, pelas 22h00 de ontem e aterrando no mesmo local à 1h25 da madrugada deste sábado. A bordo seguiu igualmente uma equipa médica do Núcleo de Evacuações Aeromédicas (NEA). A mesma fonte dá-nos conta de que a Esquadra 504 - 'Linces', foi também ontem ativada para efetuar o transporte urgente de uma criança de três anos dos Açores para o continente. Durante o voo para Lisboa, a equipa médica militar do NEA, que seguia a bordo, realizou uma ecografia para aferir o estado de saúde da criança e os efeitos fisiológicos do voo. "Além da capacidade de suportar vítimas graves em várias valências, a grande mais valia da presença durante o transporte aeromédico de uma equipa de saúde diferenciada dotada com equipamento capaz é a possibilidade de não apenas manter mas aumentar e melhorar os cuidados prestados durante o voo até ao hospital de destino", sublinha a Força Aérea no referido comunicado.