Desfile e concurso de personagens com trajes do Realismo na Escola Secundária Jaime Moniz

A Escola Secundária Jaime Moniz proporcionou, esta manhã, à comunidade educativa uma viagem no tempo. Alunos e professores desfilaram com os trajes oitocentistas, numa homenagem simbólica às personagens que compõem o clássico 'Os Maias', de Eça de Queirós. Versatilidade e criatividade foram as tónicas dominantes desta iniciativa, dinamizada em articulação entre as disciplinas de português e de história, pela mão das docentes Carla Martins e Sandra Sousa. No átrio da Escola Secundária Jaime Moniz, todo o riquíssimo vestuário aristocrático plasmado na obra Queirosiana saiu à rua, com professores e alunos a incarnarem o papel das personagens-tipo da obra, sob a argúcia irónica de Eça. Os participantes foram submetidos ao crivo de um júri composto por Fátima Marques, Teresa Florença, Teresa Rodrigues e Ana Paula Trindade. Sob um sol primaveril, as mulheres destacaram-se pelo charme das vistosas, mas também os cavalheiros, verdadeiros janotas, mostraram os seus brios, trazendo à memória as imortais personagens do romance, como Carlos da Maia, Dâmaso, João da Ega, Craft, entre outros. Alunos e professores, numa passerelle escolar, reviveram os momentos marcantes da narrativa de Eça, actualizando sempre a sua leitura, de primordial importância para compreender a sociedade portuguesa do século XIX. Para além do desfile, foi possível assistir a um momento musical com o grupo de “A guitarra e os cordofones madeirenses”, da responsabilidade do professor Marco Ribeiro, e uma dança à moda da época com o grupo “Ginástica O Liceu”, da responsabilidade da professora Fernanda Coelho. O Desfile e Concurso de Personagens com Trajes do Realismo, para além de fomentar a sensibilidade estética e artística, decorre da articulação entre conteúdos de Português e História A, aprofundando traços das personagens da obra de Eça de Queirós e caracterizando  o tipo de vestuário utilizado na segunda metade do século XIX. A escolha da personagem ou grupo social, o vestuário e a escolha de adereços, articulada com o gesto e pequenas falas, potenciarão a leitura de uma outra época, a época do Realismo.

Desfile e concurso de personagens com trajes do Realismo na Escola Secundária Jaime Moniz
A Escola Secundária Jaime Moniz proporcionou, esta manhã, à comunidade educativa uma viagem no tempo. Alunos e professores desfilaram com os trajes oitocentistas, numa homenagem simbólica às personagens que compõem o clássico 'Os Maias', de Eça de Queirós. Versatilidade e criatividade foram as tónicas dominantes desta iniciativa, dinamizada em articulação entre as disciplinas de português e de história, pela mão das docentes Carla Martins e Sandra Sousa. No átrio da Escola Secundária Jaime Moniz, todo o riquíssimo vestuário aristocrático plasmado na obra Queirosiana saiu à rua, com professores e alunos a incarnarem o papel das personagens-tipo da obra, sob a argúcia irónica de Eça. Os participantes foram submetidos ao crivo de um júri composto por Fátima Marques, Teresa Florença, Teresa Rodrigues e Ana Paula Trindade. Sob um sol primaveril, as mulheres destacaram-se pelo charme das vistosas, mas também os cavalheiros, verdadeiros janotas, mostraram os seus brios, trazendo à memória as imortais personagens do romance, como Carlos da Maia, Dâmaso, João da Ega, Craft, entre outros. Alunos e professores, numa passerelle escolar, reviveram os momentos marcantes da narrativa de Eça, actualizando sempre a sua leitura, de primordial importância para compreender a sociedade portuguesa do século XIX. Para além do desfile, foi possível assistir a um momento musical com o grupo de “A guitarra e os cordofones madeirenses”, da responsabilidade do professor Marco Ribeiro, e uma dança à moda da época com o grupo “Ginástica O Liceu”, da responsabilidade da professora Fernanda Coelho. O Desfile e Concurso de Personagens com Trajes do Realismo, para além de fomentar a sensibilidade estética e artística, decorre da articulação entre conteúdos de Português e História A, aprofundando traços das personagens da obra de Eça de Queirós e caracterizando  o tipo de vestuário utilizado na segunda metade do século XIX. A escolha da personagem ou grupo social, o vestuário e a escolha de adereços, articulada com o gesto e pequenas falas, potenciarão a leitura de uma outra época, a época do Realismo.