Covid-19: Rússia ultrapassa pela primeira vez 500 óbitos em 24 horas

A Rússia registou hoje, pela primeira vez desde o início da pandemia, mais de 500 mortes por covid-19 em 24 horas, tratando-se de um novo máximo de acordo com as autoridades sanitárias de Moscovo.   Desde terça-feira, 507 pessoas morreram de covid-19, totalizando 37.538 óbitos na Rússia desde março. O país regista 23.675 novos contágios nas 85 regiões a nível nacional, dos quais 5.156 são assintomáticos. Na segunda-feira foram detetados 25 mil casos na Rússia, registando-se uma baixa no número de contágios, mas o número de óbitos aumentou. Em Moscovo, epicentro da pandemia no país, somam-se 4.685 contágios e 75 mortes, sendo que em São Petersburgo foram notificados 3.421 novos casos, o valor mais elevado registado na segunda cidade do país.  A Rússia soma 2,16 milhões de casos de infeção por SARS CoV-2 tendo 1,7 milhões de pacientes recuperado da doença. Na terça-feira, o governo admitiu que a situação "está complicada" porque em 32 das 85 regiões do país a taxa de incidência por cada 100 mil habitantes é superior à média nacional. Em seis regiões a ocupação hospitalar superou os 90%. O Executivo russo evitou até ao momento implementar novas restrições a nível nacional, como aconteceu na primeira vaga da pandemia, deixando às regiões a possibilidade de decidir novas medidas. A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.397.322 mortos resultantes de mais de 59,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 4.056 pessoas dos 268.721 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Covid-19: Rússia ultrapassa pela primeira vez 500 óbitos em 24 horas
A Rússia registou hoje, pela primeira vez desde o início da pandemia, mais de 500 mortes por covid-19 em 24 horas, tratando-se de um novo máximo de acordo com as autoridades sanitárias de Moscovo.   Desde terça-feira, 507 pessoas morreram de covid-19, totalizando 37.538 óbitos na Rússia desde março. O país regista 23.675 novos contágios nas 85 regiões a nível nacional, dos quais 5.156 são assintomáticos. Na segunda-feira foram detetados 25 mil casos na Rússia, registando-se uma baixa no número de contágios, mas o número de óbitos aumentou. Em Moscovo, epicentro da pandemia no país, somam-se 4.685 contágios e 75 mortes, sendo que em São Petersburgo foram notificados 3.421 novos casos, o valor mais elevado registado na segunda cidade do país.  A Rússia soma 2,16 milhões de casos de infeção por SARS CoV-2 tendo 1,7 milhões de pacientes recuperado da doença. Na terça-feira, o governo admitiu que a situação "está complicada" porque em 32 das 85 regiões do país a taxa de incidência por cada 100 mil habitantes é superior à média nacional. Em seis regiões a ocupação hospitalar superou os 90%. O Executivo russo evitou até ao momento implementar novas restrições a nível nacional, como aconteceu na primeira vaga da pandemia, deixando às regiões a possibilidade de decidir novas medidas. A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.397.322 mortos resultantes de mais de 59,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 4.056 pessoas dos 268.721 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.