Covid-19: Ilhas das Flores, Corvo e Santa Maria passam de contingência a alerta

As Flores, o Corvo e Santa Maria, ilhas sem casos de covid-19 desde o começo da pandemia, passarão na segunda-feira do estado de contingência para o estado de alerta, anunciou hoje o presidente do Governo dos Açores. A medida foi avançada esta tarde em conferência de imprensa, em Ponta Delgada, a propósito das medidas da região para o combate à pandemia. O presidente do Governo dos Açores apresentou hoje as medidas para as próximas semanas na região, dividindo-as entre quatro blocos: um referente a Santa Maria, Flores e Corvo, sem casos registados desde o começo da pandemia, outra para São Miguel, a ilha com maior número de infetados e a única com registo de mortes (13), mas que tem cadeias de transmissão identificadas e restritas, outro para a Graciosa, há 12 dias sem casos novos, e uma última para Pico, Faial, São Jorge e Terceira, quase todas há 28 dias sem novos infetados (o Pico chegará a este número na terça-feira). Em todos os blocos são dadas orientações aos serviços de saúde para uma "atuação urgente" na recuperação "do serviço aos utentes de diversas patologias" que não a covid-19. "Não estamos a falar apenas de uma situação de regresso à normalidade. Estamos a falar de uma situação em que até onde nos for possível e até onde for possível a essas unidades de saúde, se deve aproveitar uma janela temporal de dois, três, quatro meses para tratar do que é possível tratar, prevenir o que é possível prevenir, acautelar aquilo que é necessário acautelar", declarou Vasco Cordeiro sobre este ponto. Naquele bloco em particular será retomado o transporte marítimo de passageiros nas ligações entre as ilhas das Flores e do Corvo, no grupo Ocidental da região. Haverá também, a partir de segunda-feira, a abertura de diversos estabelecimentos, nomeadamente bares ou ginásios, e a "abertura de zonas balneares", cumprindo-se sempre as normas de distanciamento. Já na quarta-feira, dia 6 de maio, dar-se-á nestas três ilhas a abertura de diversos serviços da administração regional, "mantendo-se regime de teletrabalho em todos os casos em que isso seja possível", nomeadamente em casos mais delicados ou em grupos de risco. Creches, jardins de infância e centros de dia reabrem nas Flores, no Corvo e em Santa Maria também no dia 06 de maio, ao passo que, na segunda-feira seguinte, dia 11, haverá o "retomar das aulas presenciais nos estabelecimentos dos três ciclos de ensino básico, bem como no secundário", com máscara e desinfetante a terem de ser usados por "toda a comunidade". As ligações aéreas entre as ilhas açorianas, asseguradas pela SATA, continuarão a ser proibidas, mesmo no que refere às três ilhas sem casos até ao momento de covid-19, excetuando-se apenas casos de força maior, validados pela Autoridade de Saúde dos Açores, ou de transporte de carga. Os Açores não registam há oito dias novos casos de covid-19, mantendo um total de 138 infetados e tendo hoje mais cinco recuperados. Até ao momento, já foram detetados na região um total de 138 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se 45 recuperados, 13 óbitos e 80 casos positivos ativos. Destes, 60 são em São Miguel, três na ilha Terceira, cinco na Graciosa, dois em São Jorge, cinco no Pico e cinco no Faial.

Covid-19: Ilhas das Flores, Corvo e Santa Maria passam de contingência a alerta
As Flores, o Corvo e Santa Maria, ilhas sem casos de covid-19 desde o começo da pandemia, passarão na segunda-feira do estado de contingência para o estado de alerta, anunciou hoje o presidente do Governo dos Açores. A medida foi avançada esta tarde em conferência de imprensa, em Ponta Delgada, a propósito das medidas da região para o combate à pandemia. O presidente do Governo dos Açores apresentou hoje as medidas para as próximas semanas na região, dividindo-as entre quatro blocos: um referente a Santa Maria, Flores e Corvo, sem casos registados desde o começo da pandemia, outra para São Miguel, a ilha com maior número de infetados e a única com registo de mortes (13), mas que tem cadeias de transmissão identificadas e restritas, outro para a Graciosa, há 12 dias sem casos novos, e uma última para Pico, Faial, São Jorge e Terceira, quase todas há 28 dias sem novos infetados (o Pico chegará a este número na terça-feira). Em todos os blocos são dadas orientações aos serviços de saúde para uma "atuação urgente" na recuperação "do serviço aos utentes de diversas patologias" que não a covid-19. "Não estamos a falar apenas de uma situação de regresso à normalidade. Estamos a falar de uma situação em que até onde nos for possível e até onde for possível a essas unidades de saúde, se deve aproveitar uma janela temporal de dois, três, quatro meses para tratar do que é possível tratar, prevenir o que é possível prevenir, acautelar aquilo que é necessário acautelar", declarou Vasco Cordeiro sobre este ponto. Naquele bloco em particular será retomado o transporte marítimo de passageiros nas ligações entre as ilhas das Flores e do Corvo, no grupo Ocidental da região. Haverá também, a partir de segunda-feira, a abertura de diversos estabelecimentos, nomeadamente bares ou ginásios, e a "abertura de zonas balneares", cumprindo-se sempre as normas de distanciamento. Já na quarta-feira, dia 6 de maio, dar-se-á nestas três ilhas a abertura de diversos serviços da administração regional, "mantendo-se regime de teletrabalho em todos os casos em que isso seja possível", nomeadamente em casos mais delicados ou em grupos de risco. Creches, jardins de infância e centros de dia reabrem nas Flores, no Corvo e em Santa Maria também no dia 06 de maio, ao passo que, na segunda-feira seguinte, dia 11, haverá o "retomar das aulas presenciais nos estabelecimentos dos três ciclos de ensino básico, bem como no secundário", com máscara e desinfetante a terem de ser usados por "toda a comunidade". As ligações aéreas entre as ilhas açorianas, asseguradas pela SATA, continuarão a ser proibidas, mesmo no que refere às três ilhas sem casos até ao momento de covid-19, excetuando-se apenas casos de força maior, validados pela Autoridade de Saúde dos Açores, ou de transporte de carga. Os Açores não registam há oito dias novos casos de covid-19, mantendo um total de 138 infetados e tendo hoje mais cinco recuperados. Até ao momento, já foram detetados na região um total de 138 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se 45 recuperados, 13 óbitos e 80 casos positivos ativos. Destes, 60 são em São Miguel, três na ilha Terceira, cinco na Graciosa, dois em São Jorge, cinco no Pico e cinco no Faial.