Covid-19: Cerca de 30% dos infetados contraiu o vírus em casa

Cerca de 30% de uma amostra de casos de covid-19 confirmados no país contraíram o vírus em casa e 25% em instituições coletivas, anunciou hoje a ministra da Saúde, Marta Temido. "Em cerca de 30% dos casos em que foi identificada a transmissão esta ocorreu no local de habitação", afirmou a ministra na conferência de imprensa diária de atualização de informação sobre a pandemia de covid-19. Os dados reportam a uma análise da Direção-Geral de Saúde com uma amostra de 2.958 casos confirmados entre os dias 18 e 24 de abril no país, que vai passar a ser divulgada e partilhada com regularidade. Para a ministra, estes dados mostram que se tem que ter "em atenção que quem está em domicílio [e infetado] continua a ter necessidade de cuidados especiais". Da análise realizada, foi também identificado que 25% dos casos correspondiam a situações de surto em instituições coletivas, como lares, instituições particulares de solidariedade social, hostels ou empresas. A ministra da Saúde frisou também que 9% dos casos confirmados desta amostra referiam casos de transmissão social, a partir de contactos com amigos e familiares que não habitavam na sua residência. Face a essa informação, Marta Temido voltou a apelar "a que ninguém, em qualquer circunstância, baixe as medidas de prevenção da transmissão de infeção". A análise mostra "que o esforço que tem sido desenvolvido tem que ser continuado", sendo necessário "continuar a garantir as medidas" que têm sido aplicadas, defendeu. Dos 2.958 casos confirmados incluídos na análise, 44% tinham informação sobre o tipo de transmissão.

Cerca de 30% de uma amostra de casos de covid-19 confirmados no país contraíram o vírus em casa e 25% em instituições coletivas, anunciou hoje a ministra da Saúde, Marta Temido. "Em cerca de 30% dos casos em que foi identificada a transmissão esta ocorreu no local de habitação", afirmou a ministra na conferência de imprensa diária de atualização de informação sobre a pandemia de covid-19. Os dados reportam a uma análise da Direção-Geral de Saúde com uma amostra de 2.958 casos confirmados entre os dias 18 e 24 de abril no país, que vai passar a ser divulgada e partilhada com regularidade. Para a ministra, estes dados mostram que se tem que ter "em atenção que quem está em domicílio [e infetado] continua a ter necessidade de cuidados especiais". Da análise realizada, foi também identificado que 25% dos casos correspondiam a situações de surto em instituições coletivas, como lares, instituições particulares de solidariedade social, hostels ou empresas. A ministra da Saúde frisou também que 9% dos casos confirmados desta amostra referiam casos de transmissão social, a partir de contactos com amigos e familiares que não habitavam na sua residência. Face a essa informação, Marta Temido voltou a apelar "a que ninguém, em qualquer circunstância, baixe as medidas de prevenção da transmissão de infeção". A análise mostra "que o esforço que tem sido desenvolvido tem que ser continuado", sendo necessário "continuar a garantir as medidas" que têm sido aplicadas, defendeu. Dos 2.958 casos confirmados incluídos na análise, 44% tinham informação sobre o tipo de transmissão.