Covid-19: Aplicação móvel vai controlar presença em casa dos infetados na Turquia

 As pessoas infetadas com covid-19 na Turquia serão obrigadas a instalar uma aplicação nos seus telemóveis para que as autoridades possam controlar a sua presença nos domicílios, disse hoje o ministro da Saúde, Fahrettin Koca. A aplicação para telemóveis permitirá controlar a qualquer momento a presença nos domicílios dos infetados, explicou Fahrettin Koca, em conferência de imprensa, citado pela agência Efe. Até ao momento já há três operadoras de telecomunicações a colaborar com a implementação da medida, que permitirá fazer um seguimento dos infetados que estejam confinados aos seus domicílios e avisá-los, através de uma mensagem para o telemóvel, caso abandonem as suas habitações, e até alertar as autoridades, adiantou Fahrettin Koca. O ministro da Saúde da Turquia explicou que foi elaborado um mapa detalhado com os infetados com o novo coronavírus já detetados e que as autoridades o poderão usar para decretar quarentenas em municípios ou mesmo bairros. A Turquia contabiliza 34.000 positivos da doença covid-19 e 725 mortos. As unidades de cuidados intensivos estão a 62% da sua capacidade, acrescentou Fahrettin Koca. O ministro da Saúde realçou ainda que a percentagem de maiores de 65 anos entre os 34.000 casos registados de covid-19 está a diminuir, contribuindo para isso a medida de recolher imposta a esta faixa etária da população, introduzida em 21 de março. Nos últimos sete dias, o número de óbitos manteve-se estável entre os 70 e 80 diários. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil. Dos casos de infeção, cerca de 290 mil são considerados curados. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Covid-19: Aplicação móvel vai controlar presença em casa dos infetados na Turquia
 As pessoas infetadas com covid-19 na Turquia serão obrigadas a instalar uma aplicação nos seus telemóveis para que as autoridades possam controlar a sua presença nos domicílios, disse hoje o ministro da Saúde, Fahrettin Koca. A aplicação para telemóveis permitirá controlar a qualquer momento a presença nos domicílios dos infetados, explicou Fahrettin Koca, em conferência de imprensa, citado pela agência Efe. Até ao momento já há três operadoras de telecomunicações a colaborar com a implementação da medida, que permitirá fazer um seguimento dos infetados que estejam confinados aos seus domicílios e avisá-los, através de uma mensagem para o telemóvel, caso abandonem as suas habitações, e até alertar as autoridades, adiantou Fahrettin Koca. O ministro da Saúde da Turquia explicou que foi elaborado um mapa detalhado com os infetados com o novo coronavírus já detetados e que as autoridades o poderão usar para decretar quarentenas em municípios ou mesmo bairros. A Turquia contabiliza 34.000 positivos da doença covid-19 e 725 mortos. As unidades de cuidados intensivos estão a 62% da sua capacidade, acrescentou Fahrettin Koca. O ministro da Saúde realçou ainda que a percentagem de maiores de 65 anos entre os 34.000 casos registados de covid-19 está a diminuir, contribuindo para isso a medida de recolher imposta a esta faixa etária da população, introduzida em 21 de março. Nos últimos sete dias, o número de óbitos manteve-se estável entre os 70 e 80 diários. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil. Dos casos de infeção, cerca de 290 mil são considerados curados. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.