CMF inicia expropriações nas Zonas Altas para a construção de novas acessibilidades

A Câmara Municipal do Funchal aprovou hoje, em Reunião de Câmara semanal, dois processos de expropriação de terrenos nas Zonas Altas da cidade, com vista à construção de novas acessibilidades no Caminho do Laranjal Pequeno, em Santo António, e no Caminho do Lombo da Quinta, em São Gonçalo. O presidente Miguel Silva Gouveia, destaca que “estes dois processos de expropriação fazem parte do trabalho que temos realizado ao longo dos anos, no sentido de mitigar as assimetrias históricas que o Funchal apresentava, procurando, sem qualquer discriminação, levar os investimentos a todas as freguesias, e a todos os funchalenses, garantindo a todos os munícipes, o mesmo acesso à qualidade de vida que a nossa cidade proporciona”.   “Na fase inicial do processo negocial não houve entendimento com os proprietários para a cedência dos terrenos, daí encetarmos agora este processo expropriativo, pois ao contrário do que foi prática em muitas câmaras e pelo próprio Governo Regional, que invadiram com obras públicas terrenos que não eram da sua propriedade, a Câmara Municipal do Funchal trabalha dentro da legalidade e tem respeito pela propriedade privada, e só após ter a posse destes terrenos necessários aos investimentos, é que a obra segue para concurso”.   O autarca realçou que os investimentos nas Zonas Altas do Funchal continua a ser uma prioridade deste Executivo, “apesar de termos o Orçamento Municipal para o corrente ano chumbado pelo PSD e pelo CDS, não nos desviámos nem um milímetro da missão que temos em mãos, que é de sempre, em todo o momento, trabalharmos a pensar nos funchalenses, e na melhoria das condições de vida na nossa cidade”.   Foi ainda aprovada por unanimidade a abertura de dois novos procedimentos de recrutamento de trabalhadores, nomeadamente de onze assistentes operacionais, que se dividem entre nove coveiros para os cemitérios, e dois calceteiros. Paralelamente a este processo, o presidente informou, a todos os interessados, que já está em fase de candidaturas um processo concursal para o recrutamento de um técnico superior de matemática e estatística, e outro para um técnico superior de engenharia electromecânica.      

CMF inicia expropriações nas Zonas Altas para a construção de novas acessibilidades
A Câmara Municipal do Funchal aprovou hoje, em Reunião de Câmara semanal, dois processos de expropriação de terrenos nas Zonas Altas da cidade, com vista à construção de novas acessibilidades no Caminho do Laranjal Pequeno, em Santo António, e no Caminho do Lombo da Quinta, em São Gonçalo. O presidente Miguel Silva Gouveia, destaca que “estes dois processos de expropriação fazem parte do trabalho que temos realizado ao longo dos anos, no sentido de mitigar as assimetrias históricas que o Funchal apresentava, procurando, sem qualquer discriminação, levar os investimentos a todas as freguesias, e a todos os funchalenses, garantindo a todos os munícipes, o mesmo acesso à qualidade de vida que a nossa cidade proporciona”.   “Na fase inicial do processo negocial não houve entendimento com os proprietários para a cedência dos terrenos, daí encetarmos agora este processo expropriativo, pois ao contrário do que foi prática em muitas câmaras e pelo próprio Governo Regional, que invadiram com obras públicas terrenos que não eram da sua propriedade, a Câmara Municipal do Funchal trabalha dentro da legalidade e tem respeito pela propriedade privada, e só após ter a posse destes terrenos necessários aos investimentos, é que a obra segue para concurso”.   O autarca realçou que os investimentos nas Zonas Altas do Funchal continua a ser uma prioridade deste Executivo, “apesar de termos o Orçamento Municipal para o corrente ano chumbado pelo PSD e pelo CDS, não nos desviámos nem um milímetro da missão que temos em mãos, que é de sempre, em todo o momento, trabalharmos a pensar nos funchalenses, e na melhoria das condições de vida na nossa cidade”.   Foi ainda aprovada por unanimidade a abertura de dois novos procedimentos de recrutamento de trabalhadores, nomeadamente de onze assistentes operacionais, que se dividem entre nove coveiros para os cemitérios, e dois calceteiros. Paralelamente a este processo, o presidente informou, a todos os interessados, que já está em fase de candidaturas um processo concursal para o recrutamento de um técnico superior de matemática e estatística, e outro para um técnico superior de engenharia electromecânica.