Carlos Pereira acredita que Marítimo vai jogar I Liga na Madeira

O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, disse hoje acreditar que a equipa de futebol irá jogar o que resta da I Liga portuguesa no seu estádio, na Madeira, que poderá nem ser vistoriado, por ser de nível 1. “Digo que o Marítimo vai jogar em casa. O Marítimo tem um estádio de nível 1, portanto, até nem precisará de vistorias e, provavelmente, vai jogar na Madeira. Esta é a nossa luta e é a força de todos nós conseguirmos isso, quase de certeza absoluta”, defendeu, em conversa realizada na conta do Marítimo no Facebook. O dirigente não consegue “aceitar” qualquer outro cenário e lembrou o investimento feito no estádio, o “último construído” em Portugal e que segue o protocolo da Direção-Geral da Saúde (DGS), deixando um comentário sobre a igualdade nas deslocações em comparação com as outras equipas. “Se eles não podem andar de avião, o Marítimo também não pode. O Marítimo, para jogar lá, tem que ir de avião. Então, eles não podem vir cá de avião? Podem”, salientou. A I Liga, suspensa desde 12 de março, devido à pandemia de covid-19, vai ser reatada em 04 de junho, para serem disputadas as últimas 10 jornadas da época 2019/20. “Não devia haver mais futebol esta época. Teria sido a solução mais acertada para podermos preparar a próxima como deve ser. Os atletas vão entrar psicologicamente com algum receio, porque a pandemia é uma coisa terrível”, comentou Carlos Pereira. O Marítimo ocupa a 15.ª posição, com 24 pontos, e perdeu no reduto do Moreirense, por 2-0, na última partida, realizada em 08 de março. Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas. Os campeonatos de futebol de França e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede na Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho. A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 302 mil mortos e infetou mais de 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados. Em Portugal, morreram 1.190 pessoas das 28.583 confirmadas como infetadas, e há 3.328 casos recuperados, de acordo com a DGS.

O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, disse hoje acreditar que a equipa de futebol irá jogar o que resta da I Liga portuguesa no seu estádio, na Madeira, que poderá nem ser vistoriado, por ser de nível 1. “Digo que o Marítimo vai jogar em casa. O Marítimo tem um estádio de nível 1, portanto, até nem precisará de vistorias e, provavelmente, vai jogar na Madeira. Esta é a nossa luta e é a força de todos nós conseguirmos isso, quase de certeza absoluta”, defendeu, em conversa realizada na conta do Marítimo no Facebook. O dirigente não consegue “aceitar” qualquer outro cenário e lembrou o investimento feito no estádio, o “último construído” em Portugal e que segue o protocolo da Direção-Geral da Saúde (DGS), deixando um comentário sobre a igualdade nas deslocações em comparação com as outras equipas. “Se eles não podem andar de avião, o Marítimo também não pode. O Marítimo, para jogar lá, tem que ir de avião. Então, eles não podem vir cá de avião? Podem”, salientou. A I Liga, suspensa desde 12 de março, devido à pandemia de covid-19, vai ser reatada em 04 de junho, para serem disputadas as últimas 10 jornadas da época 2019/20. “Não devia haver mais futebol esta época. Teria sido a solução mais acertada para podermos preparar a próxima como deve ser. Os atletas vão entrar psicologicamente com algum receio, porque a pandemia é uma coisa terrível”, comentou Carlos Pereira. O Marítimo ocupa a 15.ª posição, com 24 pontos, e perdeu no reduto do Moreirense, por 2-0, na última partida, realizada em 08 de março. Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas. Os campeonatos de futebol de França e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede na Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho. A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 302 mil mortos e infetou mais de 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados. Em Portugal, morreram 1.190 pessoas das 28.583 confirmadas como infetadas, e há 3.328 casos recuperados, de acordo com a DGS.