Barcos de pesca de Câmara de Lobos abandonam ainda hoje o Porto Moniz

A Câmara Municipal do Porto Moniz, num comunicado colocado no Facebook, já esta madrugada, dá conta de que as embarcações de Câmara de Lobos, atracadas no porto de abrigo da capital do concelho nortenho, abandonam ainda hoje o Porto Moniz. Têm até as 12 horas para sair do porto de abrigo. Ficou decidido pelas autoridades competentes que as embarcações devem deixarr a zona logo que estejam reunidas as condições de navegabilidade, recolhendo os aparelhos e rumando até ao Porto do Funchal. Espera-se melhorias até as 12 horas. "Derivado às condições marítimas adversas que se fazem sentir, por volta das 22h25, atracou mais uma embarcação com 9 tripulantes, que foi prontamente abordada por elementos da PSP do Porto Moniz, tendo sido informada sobre as condições de permanência e abandono do local, à semelhança do que já sucedera com as outras quatro embarcações", alerta a Autarquia, a qual admite que, desde sábado, a presença daquelas embarcações no porto de abrigo e, sobretudo, o facto de, domingo, pescadores terem circulado na vila, tem causado algum desconforto. Permanecem, neste momento, 5 embarcações e 32 pescadores neste Porto de Abrigo, tendo sido a Autoridade de Saúde do Porto Moniz informada pela PSP. A Câmara Municipal "compreende o facto de estas tripulações terem procurado o Porto de Abrigo do Porto Moniz para acostar as suas embarcações, ou não fosse este um dos portos mais seguros e com melhores condições na Região, dotado inclusive de um Centro de Salvamento a Náufragos, único em toda a Costa Norte da Região, mas considera que em primeiro lugar estará sempre a salvaguarda da saúde pública não apenas dos seus munícipes, mas também dos próprios tripulantes destas embarcações". "São momentos difíceis, não só para o nosso concelho, como para todos, mas continuamos focados em fazer a nossa parte: a defesa intransigente da população do Concelho do Porto Moniz, sem alarmismos, mas com rigor e competência", diz a Autarquia, que adianta que a população ficou alarmada quando viu os pescadores fora das embarcações. O Município acrescenta que foi sugerido às autoridades de saúde, que os ocupantes das embarcações fossem testados para o COVID-19, para salvaguarda, não apenas dos tripulantes, mas também de toda a população do concelho do Porto Moniz " No domingo, o Delegado de Saúde do concelho do Porto Moniz comungou das preocupações transmitidas pelo Presidente desta autarquia, num contacto telefónico mantido nessa manhã, tendo-as colocado à consideração superior", refere a nota.

Barcos de pesca de Câmara de Lobos abandonam ainda hoje o Porto Moniz
A Câmara Municipal do Porto Moniz, num comunicado colocado no Facebook, já esta madrugada, dá conta de que as embarcações de Câmara de Lobos, atracadas no porto de abrigo da capital do concelho nortenho, abandonam ainda hoje o Porto Moniz. Têm até as 12 horas para sair do porto de abrigo. Ficou decidido pelas autoridades competentes que as embarcações devem deixarr a zona logo que estejam reunidas as condições de navegabilidade, recolhendo os aparelhos e rumando até ao Porto do Funchal. Espera-se melhorias até as 12 horas. "Derivado às condições marítimas adversas que se fazem sentir, por volta das 22h25, atracou mais uma embarcação com 9 tripulantes, que foi prontamente abordada por elementos da PSP do Porto Moniz, tendo sido informada sobre as condições de permanência e abandono do local, à semelhança do que já sucedera com as outras quatro embarcações", alerta a Autarquia, a qual admite que, desde sábado, a presença daquelas embarcações no porto de abrigo e, sobretudo, o facto de, domingo, pescadores terem circulado na vila, tem causado algum desconforto. Permanecem, neste momento, 5 embarcações e 32 pescadores neste Porto de Abrigo, tendo sido a Autoridade de Saúde do Porto Moniz informada pela PSP. A Câmara Municipal "compreende o facto de estas tripulações terem procurado o Porto de Abrigo do Porto Moniz para acostar as suas embarcações, ou não fosse este um dos portos mais seguros e com melhores condições na Região, dotado inclusive de um Centro de Salvamento a Náufragos, único em toda a Costa Norte da Região, mas considera que em primeiro lugar estará sempre a salvaguarda da saúde pública não apenas dos seus munícipes, mas também dos próprios tripulantes destas embarcações". "São momentos difíceis, não só para o nosso concelho, como para todos, mas continuamos focados em fazer a nossa parte: a defesa intransigente da população do Concelho do Porto Moniz, sem alarmismos, mas com rigor e competência", diz a Autarquia, que adianta que a população ficou alarmada quando viu os pescadores fora das embarcações. O Município acrescenta que foi sugerido às autoridades de saúde, que os ocupantes das embarcações fossem testados para o COVID-19, para salvaguarda, não apenas dos tripulantes, mas também de toda a população do concelho do Porto Moniz " No domingo, o Delegado de Saúde do concelho do Porto Moniz comungou das preocupações transmitidas pelo Presidente desta autarquia, num contacto telefónico mantido nessa manhã, tendo-as colocado à consideração superior", refere a nota.