Autor do projeto do novo hospital lamenta ausência de alguém do Governo da República

O arquiteto Ilídio Pelicano, autor do projeto do futuro Hospital da Madeira, referiu esta manhã que foi conseguido ir ao encontro das necessidades pedidas pelo corpo clínico. Afirmou que o projeto, que por muito pouco valor que tivesse, serviu...

Autor do projeto do novo hospital lamenta ausência de alguém do Governo da República
O arquiteto Ilídio Pelicano, autor do projeto do futuro Hospital da Madeira, referiu esta manhã que foi conseguido ir ao encontro das necessidades pedidas pelo corpo clínico. Afirmou que o projeto, que por muito pouco valor que tivesse, serviu para o país evoluir na construção de edifícios deste género. Na apresentação que agora decorre no salão nobre do Governo Regional, o arquiteto lamentou a ausência de alguém do Governo da República  e aproveitou a ocasião para falar sobre o projeto em si.  Ilídio Pelicano realçou que o edifício terá bons acessos, um anel de segurança (via de comunicação dentro do hospital que permite que os bombeiros tenham acesso a todo o edifício através de circulação automóvel) e apontou ainda uma zona de serviço interno a toda a parte logística. O futuro hospital, com 607 camas em internamento, terá duas entradas autónomas: uma para a Saúde Mental e outra para a urgência/emergência. Esta última será uma via exclusiva de ambulâncias. Na apresentação do programa funcional do novo hospital - com salão nobre a abarrotar- Albuquerque é acompanhado na mesa pelo vice-presidente do Governo e pelos secretários regionais da Saúde, Pedro Ramos e dos Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino. Toda a equipa governamental assiste, na primeira fila, à apresentação detalhada do futuro edifício hospitalar.