Atletas nacionais e estrangeiros 'fogem' da 'Madeira Uphill 2000' por causa do preço das viagens

A Câmara Municipal do Funchal e a Associação de Atletismo da Madeira apresentaram, esta manhã, a edição 2019 do Madeira UPHILL 2000, considera a mais dura prova de Meia Maratona da Europa. A iniciativa acontece a 22 de setembro, dia de eleições,...

Atletas nacionais e estrangeiros 'fogem' da 'Madeira Uphill 2000' por causa do preço das viagens
A Câmara Municipal do Funchal e a Associação de Atletismo da Madeira apresentaram, esta manhã, a edição 2019 do Madeira UPHILL 2000, considera a mais dura prova de Meia Maratona da Europa. A iniciativa acontece a 22 de setembro, dia de eleições, ligando a baixa do Funchal ao Pico do Areeiro e já tem mais de 100 atletas inscritos. O presidente da Associação de Atletismo da Madeira, Policarpo Gouveia, lamentou que os preços das viagens para a Madeira impeçam a participação de mais atletas nacionais e estrangeiros. "Não esquecer que o melhor tempo, masculinos, pertence a um checo, Milan Janata, que em 2016 concluiu o percurso em 1h49m54s. Nos femininos, o recorde pertence à madeirense, Cristina Nascimento. Todos os atletas madeirenses, que se sintam capazes de enfrentar o desafio, são convidados a participar na prova", referiu. “Temos que resolver este problema da continuidade territorial”, não apenas para fins desportivos, porque a verdade é que os preços das viagens afastam muitos atletas nacionais ou estrangeiros dos eventos na Madeira. “É compreensível que os atletas, mesmo não havendo outro evento destes na Europa, que escolham outros desafios similiares”. David Gomes, diretor regional da Juventude e Desporto, destacou mais uma prova internacional que realça o destino Madeira. O responsável falou sobre as exigências da prova para os atletas, um “verdadeiro desafio”, e reiterou o apoio do Governo Regional a todos os “eventos de excelência” organizados pela Associação de Atletismo. “Faço votos para que, efectivamente, esta prova continue a crescer”. O vereador com o pelouro do Desporto enalteceu o facto de uma prova com esta reputação realizar-se no Funchal, à luz das condições que o Município tem para a prática desportiva. “Esta é uma prova emblemática, não só para o Funchal e para a Madeira, mas também para o Circuito Europeu das Meias Maratonas, uma prova dura, que vai dos zero até aos mais de 1800m, num total de 21km, o que diz bem da sua exigência. Esperamos que esta seja novamente um sucesso, não só do ponto de vista das participações individuais, quer de homens, quer de mulheres, mas também nas estafetas, que alargam o leque de atletas que poderão competir.”, disse. João Pedro Vieira aproveitou, ainda," a ocasião para demonstrar a sua preocupação com os problemas de mobilidade que têm vindo a afetar a Região Autónoma da Madeira, porque “durante os últimos meses sentimos dificuldade na organização de determinadas iniciativas, inclusive com adiamento de eventos por parte de parceiros, em consequência da dificuldade que hoje em dia existe na mobilidade para a nossa Região.”