Alterações ao Orçamento de Estado objeto de debate no parlamento regional

As propostas discutidas e aprovadas ou rejeitadas em sede de especialidade no debate do Orçamento do Estado para 2020 está a marcar o início do debate parlamentar na Assembleia Legislativa da Madeira. O PS tem sido acusado pelos social-democratas...

Alterações ao Orçamento de Estado objeto de debate no parlamento regional
As propostas discutidas e aprovadas ou rejeitadas em sede de especialidade no debate do Orçamento do Estado para 2020 está a marcar o início do debate parlamentar na Assembleia Legislativa da Madeira. O PS tem sido acusado pelos social-democratas de não ter aprovado as “propostas da Madeira”,  apresentadas pelo PSD. Para o líder da bancada parlamentar do PSD-M, trata-se de uma “traição” do eleitorado do PS na Madeira e da região. Jaime Filipe Ramos ainda disse que perdoaria os 105 dos 108 deputados do PS do continente, mas que o mesmo não pode dizer sobre os três madeirenses, aludindo a Carlos Pereira, Olavo Câmara e Marta Freitas. O tema foi trazido pelo deputado do PSD, tendo Adolfo Brazão nomeado e criticado os chumbos do PS às propostas do PSD-M. Ricardo Lume, do PCP, interveio para lembrar que várias propostas do PSD foram aprovadas no parlamento nacional, com o apoio dos 10 deputados do PCP na AR. “Ao ouvi-lo parece que não foram aprovadas, mas algumas foram”, disse, referindo-se, por exemplo, ao reforço do investimento no Centro Regional da RTP e na regularização dos precários. “Nós não temos 2, 3 e 4 deputados na Assembleia da República. Temos 10 deputados a defender os interesses dos madeirenses. Quando apresentamos uma proposta, todo o grupo parlamentar apoia, e essa é a diferença do PSD e do PS”, afirmou. “Ainda bem que tomou juízo. O PCP esteve na legislatura anterior sempre a apoiar o PS”, retorquiu Carlos Rodrigues do PSD. “Por vontade do PS os precários não tinham sido resolvidos, nem o centro regional teria investimento,” o mesmo sucedendo com os problemas dos “trabalhadores dos matadouros”, complementou.