Aliança quer solução para "inverno demográfico que se aproxima"

O cabeça de lista do Aliança às eleições regionais da Madeira sublinhou hoje que um dos problemas da região para a próxima década é o “inverno demográfico que se aproxima”, além da emigração dos jovens em busca de emprego. Em declarações à...

Aliança quer solução para "inverno demográfico que se aproxima"
O cabeça de lista do Aliança às eleições regionais da Madeira sublinhou hoje que um dos problemas da região para a próxima década é o “inverno demográfico que se aproxima”, além da emigração dos jovens em busca de emprego. Em declarações à agência Lusa, Joaquim de Sousa, que no domingo deu início à campanha oficial no Curral das Freiras (Câmara de Lobos), referiu estar objetivamente a ver as potencialidades do território para encontrar formas, de acordo com o quadro comunitário 2021-27, de “potenciar a fixação da população no território”. “E ter soluções para aquele que é um problema da Madeira, que é o inverno demográfico que se aproxima e o abandono sistemático dos jovens da nossa região”, disse Joaquim de Sousa, lembrando igualmente a saída anual de jovens para estudar no continente. Neste sentido, defendeu incentivos às famílias, sublinhando a necessidade de ser encontrada uma forma de “qualificar os jovens e os menos jovens de modo a que estes possam fazer a sua vida na terra”. Relativamente à fixação das populações, o candidato do Aliança entende que na Madeira tem de se encontrar uma solução “através da economia verde, da agricultura biológica - mudar o paradigma de desenvolvimento e assim fixar jovens com empregos qualificados e bem pagos”. “Temos de encontrar formas no nosso território de sair do betão para criar empregos qualificados, permitindo às populações fazer a vida na sua terra em sintonia com o ambiente”, disse, lembrando as metas do Acordo de Paris, do qual Portugal é signatário. Hoje, segundo dia da campanha, o Aliança desloca-se para a parte oeste da ilha da Madeira, nomeadamente à Ribeira Brava e à Ponta do Sol. O primeiro dia foi dedicado a uma freguesia que está a ficar despovoada e na qual os jovens têm como único futuro a emigração, segundo o Aliança. Joaquim de Sousa referiu que foram fechados serviços no Curral das Freiras, nomeadamente o banco e a agência de turismo, e lembrou que a escola primária está igualmente fechada e que o próprio centro de saúde “vira e mexe não tem médico”. Joaquim de Sousa lembrou ainda a “perseguição política” e o “assédio moral” de que diz ter sido alvo por parte da Secretaria da Educação madeirense quando foi professor na escola do Curral das Freiras, numa altura em que esta foi considerada uma das melhores do país, em 2015. O Aliança, o partido criado e liderado por Santana Lopes, faz este ano a sua estreia nas eleições regionais da Madeira em 22 de setembro, às quais apresenta como cabeça de lista o professor Joaquim de Sousa. Esta força partidária considera “estruturante” conseguir eleger um grupo parlamentar na Assembleia da Madeira. Também declara estar “disponível para apoiar um possível executivo regional minoritário” cujo projeto coincida com os ideais do Aliança. Nas eleições regionais legislativas da Madeira, onde os sociais-democratas governam com maioria absoluta, há 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional: PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR.