Albuquerque defende mais inovação e tecnologia nas explorações agrícolas

Miguel Albuquerque visitou esta tarde uma exploração de banana biológica, na freguesia da Ribeira Brava, que usou como exemplo de uma prática agrícola inovadora com recurso à mecanização. "O que nós pretendemos é, no próximo quadro comunitário de apoio, introduzir fatores de tecnologia e inovação na produção, no sentido de melhorar a rentabilidade das explorações e melhorar a qualidade dos produtos e dar maior formação aos nossos empresários agrícolas", defendeu em declarações aos jornalistas depois de um percurso pela exploração. O presidente do Governo Regional salientou o trabalho que está a ser realizado pelo produtor, André Pestana, e o facto do empresário poder dedicar-se mais à produção e menos à comercialização, cabendo este papel à GESBA. Albuquerque está confiante de que a colocação da banana biológica produzida naquela que é a maior exploração do género na Região, numa área de 22 mil metros quadrados, "vai ser um sucesso", quer no mercado interno, quer no externo. "Esta exploração tem um conjunto de inovações que têm de ser levadas em conta, desde as bananeiras seguras por cabos, para facilitar a mecanização da exploração, até ao aproveitamento dos cortes da matéria orgânica, que é incorporada no terreno", referiu. Sobre o trabalho que está a realizada no sítio da Fonte do Pinheiro, na Ribeira Brava, André Pestana disse que o processo de produção da banana biológica é mais lento, devido ao melhoramento dos solos, mas que o seu objetivo é fazer "agricultura saudável, sem pesticidas". No ano passado chegou às 50 toneladas e os próximos resultados aponta para 2021. O investimento total é da ordem dos 400 mil euros e conta com apoios do PRODERAM. Foram construídos tanques, um armazém, muros de suporte, de corta ventos, de vedações e de acessos para viatura, instalação de sistema de rega, aquisição de maquinaria e equipamentos de apoio à produção. O sistema de tutoragem é inovador consistindo na amarração das plantas através de cabos de aço a um tutor sobre-elevado em relação à plantação, aspetos que Miguel Albuquerque, acompanhado do secretário regional da Agricultura, do presidente da autarquia ribeira-bravense e responsáveis da GESBA, entre outros, teve a oportunidade de constatar.  

Albuquerque defende mais inovação e tecnologia nas explorações agrícolas
Miguel Albuquerque visitou esta tarde uma exploração de banana biológica, na freguesia da Ribeira Brava, que usou como exemplo de uma prática agrícola inovadora com recurso à mecanização. "O que nós pretendemos é, no próximo quadro comunitário de apoio, introduzir fatores de tecnologia e inovação na produção, no sentido de melhorar a rentabilidade das explorações e melhorar a qualidade dos produtos e dar maior formação aos nossos empresários agrícolas", defendeu em declarações aos jornalistas depois de um percurso pela exploração. O presidente do Governo Regional salientou o trabalho que está a ser realizado pelo produtor, André Pestana, e o facto do empresário poder dedicar-se mais à produção e menos à comercialização, cabendo este papel à GESBA. Albuquerque está confiante de que a colocação da banana biológica produzida naquela que é a maior exploração do género na Região, numa área de 22 mil metros quadrados, "vai ser um sucesso", quer no mercado interno, quer no externo. "Esta exploração tem um conjunto de inovações que têm de ser levadas em conta, desde as bananeiras seguras por cabos, para facilitar a mecanização da exploração, até ao aproveitamento dos cortes da matéria orgânica, que é incorporada no terreno", referiu. Sobre o trabalho que está a realizada no sítio da Fonte do Pinheiro, na Ribeira Brava, André Pestana disse que o processo de produção da banana biológica é mais lento, devido ao melhoramento dos solos, mas que o seu objetivo é fazer "agricultura saudável, sem pesticidas". No ano passado chegou às 50 toneladas e os próximos resultados aponta para 2021. O investimento total é da ordem dos 400 mil euros e conta com apoios do PRODERAM. Foram construídos tanques, um armazém, muros de suporte, de corta ventos, de vedações e de acessos para viatura, instalação de sistema de rega, aquisição de maquinaria e equipamentos de apoio à produção. O sistema de tutoragem é inovador consistindo na amarração das plantas através de cabos de aço a um tutor sobre-elevado em relação à plantação, aspetos que Miguel Albuquerque, acompanhado do secretário regional da Agricultura, do presidente da autarquia ribeira-bravense e responsáveis da GESBA, entre outros, teve a oportunidade de constatar.