Acesso restrito a combustível na Venezuela

O Governo venezuelano anunciou este sábado, através do General Padrino Lopez, que “apenas fornecerá combustível a veículos oficiais” como “ambulâncias e pessoal autorizado”. No comunicado, o Ministério da defesa venezuelano alerta que “nenhum veículo civil deve permanecer nas estações de serviço e que nesse sentido, ordena-se a retirada por própria vontade de todos os cidadãos que se encontram à espera de deitar combustível”. O executivo Venezuela “autoriza ainda que todos os agentes de segurança da República Bolivariana poderão utilizar mecanismos de dispersão para evitar o ajuntamento de veículos nas estações de serviço”. Como resposta à decisão tomada pelo executivo venezuelano, os cidadãos têm agendado para este sábado às 19h (23h em Portugal) um “cacerolazo” que é um utilizar panelas e caçarolas, em todos os bairros e zonas residenciais, num protesto ruidoso pela falta de gasolina, alimentos e medicamentos, em plena pandemia.  

Acesso restrito a combustível na Venezuela
O Governo venezuelano anunciou este sábado, através do General Padrino Lopez, que “apenas fornecerá combustível a veículos oficiais” como “ambulâncias e pessoal autorizado”. No comunicado, o Ministério da defesa venezuelano alerta que “nenhum veículo civil deve permanecer nas estações de serviço e que nesse sentido, ordena-se a retirada por própria vontade de todos os cidadãos que se encontram à espera de deitar combustível”. O executivo Venezuela “autoriza ainda que todos os agentes de segurança da República Bolivariana poderão utilizar mecanismos de dispersão para evitar o ajuntamento de veículos nas estações de serviço”. Como resposta à decisão tomada pelo executivo venezuelano, os cidadãos têm agendado para este sábado às 19h (23h em Portugal) um “cacerolazo” que é um utilizar panelas e caçarolas, em todos os bairros e zonas residenciais, num protesto ruidoso pela falta de gasolina, alimentos e medicamentos, em plena pandemia.